Seguir o blog

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

OS FILHÕES DE PAIZINHOS DA USP E O 11, 11, 11

Abro os jornais e de novo leio notícia sobre os filhões de paizinhos da USP, anunciando retomada da greve após alguns deles serem flagrados desrespeitando a lei, que existe pra ser cumprida.
Querem a Polícia fora do Campus.
E querem também o reitor no olho da rua.
E o governador!
Papeis invertidos!
E tanta coisa importante eles poderiam fazer!
Poderiam, por exemplo, se mobilizar para pôr fim ao ataque constante das saúvas aos cofres públicos.
Poderiam também centrar energias a favor de iguais causas nobres, como exigir do governo condições de vida melhor para a população, incluindo salário justo, emprego, saúde, moradia e, claro, ensino de alto nível, com professores bem pagos e ensinando a quem quer aprender.
Houve um tempo, eu lembro, e não faz muito, que estudante estudava, professor ensinava e passarinho trinava.
Mas os passarinhos hoje estão gogos pela poluição das grandes cidades, como Sampa, enquanto a roda da vida gira fazendo o dia amanhecer, o sol brilhar, a noite escurecer e a lua e as estrelas nos alumiar.
Cada qual no seu papel neste eterno ciclo, mas os papéis estão invertidos...

Hoje o dia amanheceu macambúzio, com o sol tímido sendo acariciado por ventos frios.
Mas agora, a essa hora do dia, oito e tanto, o astro-rei parece começar a reagir, para fazer o dia mais claro e quente.
Tomara que consiga.
Dei uma espiada no calendário e encontrei a provável razão para a indisposição do dia.
É que hoje é 11, de 11, de 11, e para quem entende do riscado esse é um numeral cuja energia tem a ver com autoritarismo, competição, briga por poder e corrupção.
Vai ver, é isso o que mais querem os filhões dos paizinhos da USP.

Nenhum comentário:

POSTAGENS MAIS VISTAS