Seguir o blog

terça-feira, 8 de novembro de 2011

PAPETE, O MAIOR PERCUSSIONISTA DO MUNDO HOJE ANIVERSARIA


Princesa do Mearim, Capital do Médio Mearim ou Macabal’s City como é chamada por uns e outros a Bacabal querida do meu querido amigo José.
Esse José tem ainda no nome Ribamar e Viana, para completar.
Em suma: José Ribamar Viana.
Vocês sabem quem é José Ribamar Viana?
Ele é incrível!
De tão incrível, um amigo nosso comum, como se diz, Aldemir Martins, pintor cearense dos melhores do País, o rebatizou com o nome de uma ilha: Papete.
Mas a ilha tem dois “e” depois do “p”.
E como achou muito, Aldemir tirou um dos “e”.
Papete ilha fica na Polinésia francesa.
Pois, pois, paremos por cá.
Macabal é uma pequena e bela cidade maranhense localizada a cerca de 250 quilômetros de São Luís, capital do Estado.
Essa cidade é berço desse José, que boa parte do mundo conhece, sim, sim, por Papete,
Pois bem, e fazendo as contas nos dedos, por décadas, assim: ...20, 30, 40, 50, 60...
Epa!
Chegamos à conclusão que por ele, Papete, já se passaram, além de muitas águas aparentemente paradas, 64 anos.
Isso é muito tempo?
Isso é pouco tempo?
Na verdade isso não importa.
O que importa é saber que o tempo é relógio que não se quebra, como esse Papete.
Papete, o artista, começou a carreira cantando numa rádio de Gurupi, em Tocantins.
Ele, como Luiz Gonzaga, queria ser artista, ser cartaz.
Um como o outro queria cantar a vida brasileira.
José Ribamar Viana, o Papete, não faz outra coisa na vida se não isso.
Ei, cá pra nós: esse arrodeio todo pra dizer que Papete é do tamanho do nosso País; é do tamanho do mundo a partir do Maranhão, que é o seu coração e a razão da sua vida; eu sei.
Parabéns, Papete!
Que esses 64 anos se multipliquem muitas vezes.
Ah! Outro dia chafurdando coisas no meu acervo, achei uma revista, Moda & Viola, do comecinho dos anos de 1990, com duas páginas na forma de entrevista que fiz com ele, Papete. O título foi: Não Somos Caubóis, Somos Boibóis.
Uma coisa digo agora:

Papete é gente grande
Do tamanho deste mundo
Ele faz o que não fazemos
No piscar de um segundo
Ele é do Maranhão
Ele é um giramundo

PS – Minha querida Andrea, que está aqui ao meu lado, te deseja tudo de bom multiplicado, por milhões.
Darlan Ferreira, amigo do Norete e querido que te conhece artisticamente mais do que você mesmo, multiplica os milhões em bilhões as alegrias e saúde que eu e todos nós te desejamos.
Arriba, companheiro!

Um comentário:

PedrO MonteirO disse...

O Papete segue a linha
Num trilho alvissareiro,
Dentre os que são mais notáveis
Ele sempre é o primeiro.
Pelo que já sucedeu,
Receba abraço do seu
Amigo Pedro Monteiro.

POSTAGENS MAIS VISTAS