Seguir o blog

domingo, 3 de junho de 2012

CRIA DA VULGARIDADE

Enquanto o talentoso compositor e intérprete Maciel Melo, sertanejo pernambucano de Iguaraci, se apresenta para pequenas plateias no Nordeste com opriginalidade e tudo o mais - ele é o mais fértil e autêntico compositor nordestino da atualidade -, outros banais, sem competência artística e de futuro incerto se apresentam para multidões no Brasil e no Exterior Teló, cria, aliás, da vulgaridade que permeia os dials de hoje.
Mas ele talvez nem tenha culpa tenha, pois o mal gosto, além dele, está emburrecendo o País.
Esse Teló, como tantos, é apenas - e lamentalvemente - um pedaço de papel descartável nas privadas da vida.
A culpa, se há, é nossa, que pouco fazemos para manter com qualidade os nossos ouvidos.
Com isso, o Brasil perde.
O Brasil está perdendo a graça e ficando feio.
Tanto, que o mundo de hoje não conhece o talento musical do Brasil. Um Brasil que deu ao mundo o maior compositor operístico das Américas: Carlos Gomes.
Que deu Ary Barroso, que deu Luiz Gonzaga...
São brasileiros Jackson do Pandeiro, Manezinho Araújo, Chico Buarque, Tom Jobim, Geraldo Vandré, tantos!
Há poucas horas, pra minha tristeza, foi mostrado num programa da Plim, Plim, do Faustão, um forró que não é forró, mas dito como tal.
E o apresentador insistindo, alardeando que "foró" era o que estava sendo mostrando.
Não era.
Podia ser tudo, menos forró.
Talvez "foró", como ele repetia o tempo todo na alegria de quem sabe tudo.
Ignorância ou burrice?
Inteligência, não.
Conhecimento, não.
Cultura?
Opa!
Nem pensar.
Muitas macaquices foram mostradas, menos a dança do forró, que é bonita etc. e tal.
Orgulhosamente o apresentador dizia que a edição do seu programa, naquela hora, estava sendo vista em 130 países, pela Globo Internacional.
Ao fim citou um dos nosos principais estudiosos da cultura popular, Luís da Câmara Cascudo - com quem aprendi pessoalmente um monte de brasilidades - para justificar o inacreditável que apresentou no quadro a Dança dos Famosos.
Meu Deus do céu!
O Brasil, musicalmente, é um dos mais ricos países do mundo.
Talvez o mais rico, mas não pelas porcarias que a TV Globo muitas vezes insiste mostrar.
A música do Brasil não é a "música" que esse Teló tem "cantado".
Ele faz mal ao País...
A pensar: 2012 é o ano do centenário de Luiz Gonzaga.
O que a Globo vai fazer?
Mais respeito, sr. Faustão, o Brasil é bonito demais.
Tá, sei que nem os brasileiros sabem disso...
Pena, não é?
Mas fuja do caminho do emburrecimento.
Volte a mostrar o Brasil como o sr. fez outro dia, quando o Vandré foi unanimidade por votação eletronica ou sei lá numa cidade fora da Paraíba.
Tenha mais carinho por nosso país.
Quando o sr. não souber de algo que queira apresentar, e nem a sua produção saiba também, procure quem saiba.

CONGRESSO MEGA BRASIL DE COMUNICAÇÃO
Abaixo - é só clicar -, trecho de fala do juiz Onaldo Queiroga, da Paraíba, sobre cultura popular, durante palestra que desenvolvi no 15º Congresso Mega Brasil de Cultura Popular, no último dia 31, no Centro de Conveções Rebouças, na capital paulsita. Durante a intervenção, na questão do uso de verba pública, o Dr. Queiroga cobra ação do Ministério Público e fala da imbecibilização dos ouvintes.

Um comentário:

Anônimo disse...

Bela matéria, falando deste Caboco Sonhador, um atuante poeta das coisas do nordeste, maciel Melo.
Chico Salles

POSTAGENS MAIS VISTAS