Seguir o blog

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

UM PASSEIO POR SAMPA DE ANTIGAMENTE

Algumas das mais antigas ruas da capital paulista formam um triângulo, chamado Triângulo Paulista – ou Paulistano.
Lembro isso porque amanhã vou passear pelo Centro velho da cidade que me adotou há quase 40 anos.
O convite veio da reportagem da TV Globo.
Aceitei.
O referido Triângulo é formado pelas ruas Direita, XV de Novembro e São Bento.
A Direita é das três a mais conhecida, por estar em tudo quanto é livro de história e até em música.
São Paulo começou com a celebração de uma missa, no dia 25 de janeiro de 1554.
Entre os celebrantes, Nóbrega e Anchieta.
Mas com Nóbrega e Anchieta e índios estava mais uma dezena de jesuítas.
A ordem religiosa Companhia de Jesus, de jesuítas, foi criada em 1534, na França.
A missa teve lugar num casebre de poucos metros, onde hoje se acha o Pátio do Colégio.
Da construção original, pouco restou.
A poucos metros do Pátio, tem a casa da Marquesa, chamado Solar; solar da Marquesa, que fica ali na antiga Rua do Carmo, agora rebatizada de Roberto Simonsen.
A marquesa referida tinha por nome Domitília de Castro e Melo, xodó de dom Pedro I, e também do sanfoneiro Mário Zan, que por muitos e muitos anos depositou flores no seu túmulo, no Cemitério da Consolação.
Um pouco mais adiante na trilha do nosso passeio, depois de passarmos por prédios antigos ainda preservados, na sua maioria, nos depararemos com a catedral que originou a primeira igreja matriz da cidade, palco de grandes acontecimentos: a Sé.
É ali, aliás, que se acha fixado o marco zero da cidade.
Mais à frente, depois de ruas estreitas, há a Praça João Mendes com tribunal e fórum, tendo ao lado a Avenida Liberdade que já foi chamada de Rua da Forca, do Pelourinho, da Pólvora e do Cônego.
Antes, bem antes, fora a mesma avenida chamada de Rua de Cima.
De Cima porque, naturalmente, havia a Rua do Meio e a Rua de Baixo.
Na Rua de Baixo, antiga Rua Livre, há hoje a Praça Carlos Gomes.   
Gomes foi o maior compositor operístico das Américas, gravado por Caruso e tudo mais quanto é gogó de força.
A partir dessa região, o Centro velho cresceu e chegou à rua Santa Ifigênia e suas travessas Aurora, Vitória e dos Andradas, famosas pelas produções de filmes do ciclo marginal, que os cinéfilos tão bem conhecem.
E pelo caminho até aí vamos passando pelo Teatro Municipal, Vale do Anhangabau...
O passeio é bom.
Vem comigo. Antes, clique:
E danou-se:
Amanhã o querido amigo e parceiro Vital Farias completa 70tinha.
Ele nasceu em Pedra D´Água, sítimo localizado na região de Taperóa, terra do Ariano.
Vital é um dos 50 filhos de um pai.
Viva Vital Farias!

Nenhum comentário:

POSTAGENS MAIS VISTAS