Seguir o blog

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

EM TEMPO DE HOMENAGEM

Sob o auspício dos editores do Anuário Brasileiro de Comunicação Corporativa 2013 (Megabrasil) será realizado na próxima quinta 21, no Auditório Mário Henrique Simonsen, o seminário Caminhos da Sustentabilidade. 
Esse seminário tem por objetivo abrir discussões em torno das novas tecnologias que estão surgindo e impactando o modelo de negócios na imprensa. Quer dizer que há tudo a ver com o exercício jornalístico e, consequentemente, com o relacionamento dessas tecnologias em volta do mundo empresarial.  
O tema é, sem dúvida, pra lá de oportuno nesses dias incertos que vivemos.
Exposição e debates ocorrerão entre às 10 e 12h30, a cargo dos jornalistas Ascânio Seleme (O Globo), Ricardo Gandour (O Estado de S.Paulo (Sérgio Dávila (Folha de S.Paulo) e Vera Brandimarte (Valor Econômico). O mediador será o ex-ministro do Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge.
O Auditório Mário Henrique Simonsen fica no prédio do Jockey Club, à Rua Boa Vista, 280, 11º andar, Centro da capital paulista.
Mais informações com Amanda Castro, pelo e-mail Amanda@megabrasil.com.br
HOMENAGEM
O cantor, compositor e advogado especializado em direitos autorais Jorge Mello, piauiense de Piripiri, 
é uma das oito personalidades que serão homenageadas logo mais à noite em solenidade aberta ao público na sede da Associação Comercial de São Paulo, à Avenida Mário Lopes Leão, 406, em Santo Amaro, 
Distrito localizado na zona Sul da cidade que está completando 461 anos de fundação.
Santo Amaro, com forte presença nordestina, foi fundado dois anos antes da capital paulista, 
em 15 de janeiro de 1552. O artista mora em São Paulo desde dezembro de 1973. Foi aqui, ele diz, “que gravei o meu primeiro LP, Besta Fera (Crazy, 1976), e prossigo no dia a dia dando andamento à minha vida de cidadão e artista”. No referido LP, Jorge Mello, nascido Jorge Francisco de Carvalho Melo, insere a primeira homenagem
 que fez à Sampa: São Paulo Zero Grau, um xote com cheiro de blues.
Salve, Jorge!

RODA DE CHORO - Como previsto, inaugurou-se ontem à noite a roda de música instrumental Tem Alemão no Choro, no Bar do Alemão, fundado há 45 anos por Dagoberto Caldas, um cara que fumava até sete marços de cigarros por dia e morreu um ano depois de deixar de fumar a pedido médico, sem fumar mais nenhum. Vários artistas foram prestigiar o evento, entre os quais as artistas Dona Inah e Socorro Lira. Tocaram lá Barão do Pandeiro, Zé Roberto Figueiroa e Artur (pandeiros), Milton de Mori, Mike e Luis Nassif (bandolins), Rui Kleiner (violão tenor), Serginho Arruda,Valdo Gonzaga, João Macacão e Marquinhos (violões), Thadeu Romano (sanfona) e John Bermman (clarineta). Também presente à roda vi/ouvi um menino de 12 anos tocar à flauta, irrepreensivelmente, o chorinho 1 x 0, de Pixinguinha (abaixo, no registro de DArlan Ferreira).

Nenhum comentário:

POSTAGENS MAIS VISTAS