Seguir o blog

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

BRINCANDO COM FOGO

Enfim, o que querem os mídia ninja e os black blocs, inventar o fogo e a roda? 
Os chamados mídia ninja são uma bobagem. 
Os black blocs, uma onda internacional. 
E aí?
Ano que vem marcará meio século do golpe militar que culminou com 21 anos de escuridão, ferimentos na democracia e tortura e morte de muita gente que sonhava por um mundo melhor; no caso, um Brasil melhor.
Em 1964, as circunstâncias eram diferentes das circunstâncias de hoje.
Na dúvida, uma consulta à história fará bem...
Lá atrás, as questões giravam em torno de vida e morte, e de modo radical, mas íamos às ruas sem máscaras, sem capuz, de cara limpa, gritando palavras de ordem e respeitando o bem público, ao contrário de hoje. E fugíamos da polícia, porque simplesmente não dava para enfrentar a polícia, porque polícia é polícia, como forças armadas, é claro, são forças armadas, treinadas para pôr ordem na casa e pronto.
Hoje há democracia no Brasil, mas há também um desenfreado vandalismo em óbvio descumprimento ao estabelecido na Constituição de 1988; aliás, a mais completa desde a de 1946.
É perigoso fazer o que se está fazendo nas ruas do País.
Será que o que se procura é motivo para uma ação do Exército?
A chamada Primavera árabe deu no que está dando.
Será que é isso o que se quer por aqui?
Como se malabaristas fôssemos, brincamos com fogo.
Claro que há insatisfações por todo canto.
Claro que nas planícies e planaltos há corrupção e cabras precisando de peia, que o nível de desemprego é alto, que a saúde e a educação foram abandonadas, e que, enfim, etc., etc.
Não será pela via da força bruta, da violência, da anarquia, que o ruim ficará bom de um minuto para outro.
Ah, sim! Naquele tempo, os jornais nanicos, como eram chamados os jornais alternativos, independentes, eram de fato importantes.
E não nos esqueçamos da revolução cultural da China, iniciada dois anos depois do golpe militar no Brasil.

AUDÁLIO DANTAS - esse sabe de tudo e mais um pouco, tanto de coisas e fatos de ontem, quanto de coisas e fatos de hoje. Aliás, amanhã, a partir das 11 horas, ele estará se colocando totalmente à vontade para responder as perguntas lhe fizerem na FNAC, em Pinheiros. O tema será o seu novo livro, As Duas Guerras de Vlado Herzog (Ed. Civilização Brasileira). Vamos?

Nenhum comentário:

POSTAGENS MAIS VISTAS