Seguir o blog

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

MAZELAS DO BRASIL EM FRANKFURT

Razões que me atormentam desde o último fim de semana têm a mim me impedido de preencher este espaço com o conteúdo necessário, e de sempre, mas notícias vindas de Frankfurt forçam-me a tatear o teclado para dizer que assino em baixo tudo o que o Laurentino Gomes, o Luiz Ruffato e o Marçal de Aquino falaram lá na feira do livro, e que a Folha, edição de hoje, reproduz.
Laurentino falou em defesa das biografias e da livre expressão, Ruffato sobre mazelas brasileiras, explicando que é papel da literatura “fazer uma reflexão da sociedade” e Marçal disse preferir “um artista que faça política a um político que faça poesia”. Marçal disse isso em resposta ao vice-presidente da República, Michel Temer, que elogiou a si próprio como poeta, num discurso na feira do livro, no gênero a maior do mundo.
E nem se falou o quão difícil é fazer pesquisa e publicar livro sobre cultura popular no nosso País.

ENDOIDOU
O mano Caetano, de tantas caras e bocas, de falas críticas e polêmicas jornais a fora, anda sempre arrumando um jeito de estar na crista da onda, mas agora exagerou ao defender a censura para escritores que queiram contar histórias de figuras públicas sem o prévio consentimento delas. Noutras palavras: o filho de dona Canô, outrora tão defensor das liberdades democráticas, incluindo a livre expressão, agora se diz contra biografias não
autorizadas. E isso quer dizer o seguinte: pau – e cana – nos biógrafos!
Sinto que o Caê tá é querendo um cascudo. Pois tome um, cabra!

Hoje teço loas a Roberto Cabrini, por expressar-se de modo tão objetivo ao dizer claramente, entre tantas coisas, que o fazer jornalístico só tem razão de ser quando beneficia a coletividade e cidadãos ameaçados nos seus direitos de ir e vir. A sua presença ontem no seminário internacional mídia JOR, promovido pela revista Imprensa, no auditório da Aliança Francesa, foi um chamamento à razão e à inteligência. Participaram do evento, além de Cabrini, Rubem Valente e Sergio Lírio, mediado por Colibri Vita (acima). Também estive lá,ao lado de Sinval de Itacarambi Leão, da revista Imprensa; e de Luciana Freitas, editora do newsletter Por Dentro da Midia .

Nenhum comentário:

POSTAGENS MAIS VISTAS