Seguir o blog

terça-feira, 5 de agosto de 2014

PRAÇA ALBERTO MARINO JR.

Dois anos e nove dias depois de partir para a eternidade, o paulistano Alberto Marino Júnior, autor da letra da valsa-choro Rapaziada do Brás, virou nome de praça em Uberlândia, Minas Gerais.
Algo parecido na capital paulista até agora, nada.
Seu pai, Alberto Marino, em vida foi homenageado com nome de rua em Itanhaém, no litoral de São Paulo.
Em seguida, no ano de 1967, Marino emprestaria o seu nome a um viaduto no bairro paulistano do Brás.
Alberto Marino Júnior estudou Direito como vários integrantes da sua família, incluindo Roberto que ontem à noite, por telefone, passou a notícia da homenagem póstuma ao pai, que chegou ao cargo de desembargador do Estado de São Paulo.
Como promotor público ele jamais perdeu uma sessão do Júri, mandando pra cadeia muitos marginais, como o que se tornaria famoso como Bandido da Luz Vermelha.
Alberto Marino era compositor, instrumentista e maestro, com programa de rádio em São Paulo dos anos 30/40 do século passado.
Ele tinha 17 anos de idade quando compôs Rapaziada do Brás, sem letra, gravada entre 1926/27 pelo grupo musical Bertorino Alma, do qual era líder.
A música virou um clássico, na sua forma instrumental.
Em1960, o cantor argentino naturalizado brasileiro Carlos Galhardo pediu ao autor que à melodia acrescentasse uma letra, tarefa que foi delegada ao filho Júnior.
A tarefa foi cumprida da noite para o dia, e de modo definitivo.
Viva os Marino@
Para ouvi-la clique:

Nenhum comentário:

POSTAGENS MAIS VISTAS