Seguir o blog

terça-feira, 3 de março de 2015

CELIA E CELMA, ESCORPIÃO E COBRA

Dia desse eu disse que o cantor Roberto Luna tem muita história pra contar. Claro, óbvio mesmo, se tratando de quem é: um profissional que deslanchou para o sucesso bem na metade dos anos de 1950. Por ele passaram muito nomes da música popular que a história consagrou, como Silvio Caldas, Orlando Silva, Chico Alves, Nelson Gonçalves, com quem, aliás,  chegou a trocar alguns sopapos.
Como Luna, naturalmente outros grandes artistas trazem na bagagem muitas histórias. Celia e Celma, por exemplo. As duas presenciaram uma cena curiosa – entre tantas - no Rio de Janeiro dos anos setenta, que foi a seguinte:
Maria José, a Dona Zezé, mãe de Carlos Imperial, um dia foi surpreendida pelo filho que lhe mostrou uma gravação de Meu Limão, Meu Limoeiro. Enquanto o disco rodava na vitrola, Dona Zezé pôs as mãos nos quartos e se balançando ironicamente ralhou:
- Tenha vergonha, eu fiz você dormir muitas vezes cantando esta música.
A música em questão, do folclore brasileiro, trazia estampado na etiqueta o nome do filho de Dona Zezé.
Atenção: Vem aí um documentário sobre a vida e “obra” de Carlos Imperial, com a participação das cantoras Celia e Celma.
Mas as duas têm muito, mas muuuuito o que contar.
Na China, por exemplo, as duas só não passaram fome porque a fome é um sintoma natura entendido por todo mundo. E, claro, fecharam os olhos diante de algumas iguarias esquisitas e engoliram o que não viram, como escorpião, grilo, cobra, grelhados e fritos à moda da casa, isto é, à milanesa ou a algo que até agora, o paladar de ambas não conseguiu identificar, mas toda hora que as duas se lembram do que ingeriram se arrepiam.
No Japão, um fã desses apaixonadíssimos à primeira vista, delas lhes ganhou a confiança e as levava quase toda noite para conhecer restaurantes com iguarias exóticas. Numa dessas ocasiões, as duas estavam comendo qualquer coisa com pauzinhos, quando de repente lhes chamaram a atenção algumas figurinhas carimbadas do cinema do Tio Sam: Gregory Peck, Rock Hudson, Kirk Douglas, Tony Curtis, Jack Palance, Burt Lancaster e Charlton Heston. As duas se levantaram e foram trocar um dedo de prosa com eles. De todos o mais animado deles era Heston, que queria saber tudo sobre o Brasil: Futebol, carnaval e praia.
Hoje elas lamentam o fato de não portarem naquela ocasião uma dessas maquininhas simples de fazer retrato, como o celular.


 CAUBY PEIXOTO
O cantor Cauby Peixoto está fora de combate há três semanas, num hospital da capital paulista.

Os médicos ainda não permitiram visitas ao paciente que está com 84 anos de idade.

Nenhum comentário:

POSTAGENS MAIS VISTAS