Seguir o blog

sexta-feira, 22 de maio de 2015

DE BAIÃO, BANDA E MORTE

No dia 22 de maio de 1946 o grupo musical  4 Azes e 1 Coringa, formado por  jovens estudantes cearenses, lançava no Rio de Janeiro o 1º baião -gênero musical- de que se tem notícia no mundo, da autoria de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira.
Essa música serviu de catapulta para o futuro Rei do Baião e Humberto Teixeira chegarem à boca do povo. A partir daí Humberto deixaria em 2º plano a profissão de advogado para se tornar um dos mais aplaudidos compositores do País. Detalhe: ele compôs com Gonzaga exatas duas dezenas de pérolas musicais, como Assum Preto e Estrada do Canindé.

Você sabe como se chama a banda musical mais antiga da cidade mineira de Ubá?
Pois é, os ubaenses se alegram até hoje com a performance da Banda 22 de Maio, criada no distante ano de 1898.

O que tem a ver o baião de Gonzaga e a Banda 22 de Maio de Ubá?
Nada.
Os dois eventos -o lançamento do gênero musical baião e a fundação da corporação musical de Ubá- levam o meu pensamento pra bem longe daqui: Irã, Iraque, Pérsia, Palmira...
Hoje, 22 de maio de 2015, ouço no rádio a triste notícia que dá conta das estrepolias do terrorista Estado Islâmico acabando com tudo que há de mais importante, documentalmente falando, do tempo de Cristo e até de mesmo de antes de Cristo. Esses felas, com suas ações depredatórias e até inacreditáveis estão apagando algumas das memórias mais antigas da humanidade. E a própria humanidade.
O que será do ontem nas mãos desses celerados?
O que será do mundo árabe nas mãos desses celerados?
O que será de nós, hein?
O amanhã é hoje/ que vira ontem/ passado/ história; história que guarda tudo/ tudo o que é memória/ até o escárnio da escória.
O baião e a banda musical de Ubá veem resistindo bravamente na história que continua sendo feita hoje.
E hoje, ainda 22 de maio de 2015, do Planalto desaba sobre nós um super-pacote de maldades denominado de Ajuste Fiscal  


Um comentário:

IDERVAL REGINALDO TENÓRIO Tenorio disse...

O SÃO JOÃO DA CAPITAL É UMA CARICATURA.




O SÃO JOÃO É DO BRASIL

Na época do São João o citadino, principalmente o da Capital, num gesto de despeito ao homem do campo , de desconsideração ao homem que trabalha na roça produzindo os alimentos servidos nas suas mesas e num ato de gozação idealiza e executa verdadeiras caricaturas a respeito destes baluartes.

Na vivencia e convivência de mais de 6 décadas com estes heróis , nunca me deparei com estes figurinos, geralmente nos dias de festas o capiau se veste muito bem , as roupas são limpas, não existem os remendos com tecidos de cores diferentes e nem o tradicional chapéu de palha rasgado, puído e lacerado, principalmente os nordestinos, estes são autênticos, falam o português seiscentista , tem uma culinária rica e com muita fartura, calças rasgadas, com remendos na bunda, chapéus de palhas enfiapados não fazem parte dos dias de festas deste povo e sim da ignorância citadina, do desconhecimento dos homens da cidade, do afastamento cada vez maior de suas raízes.

A roupa é simples e autêntica como é a natureza, natural como é o universo , cristalina é a vida como é água da rocha. A culinária é rasteira, milenar e trás os traços dos índios, dos negros e dos caucasianos que aqui aportaram.

Milho cozido, pamonha de milho e de puba, bolo de puba e de aipim, galinha caipira, porco cozido, queijo coalho e de manteiga , amendoim cozido e torrado, canjica, fubá e outras delícias , o São João é do Brasil.

A Sanfona de 120 baixos, a Pé de Bode , o triangulo e a zabumba complementam o cenário do glorioso Nordeste.

Iderval Reginaldo Tenório
ESCUTEM O LUIZ GONZAGA EM
SÃO JOÃO NA CAPITÁ.

São João nas Capitá - YouTube
Vídeo para LUIZ GONZAGA. SÃO DA CAPITÁ▶ 1:51
www.youtube.com/watch?v=urW0DcGPW3Q
17 de mar de 2012 - Vídeo enviado por apfrezende G
Música São João nas Capitá com Luiz Gonzaga. ... Arrasta-pé do próprio Gonzagão em parceria com Luiz

POSTAGENS MAIS VISTAS