Seguir o blog

sexta-feira, 3 de julho de 2015

ALICE NO BRASIL DAS MARAVILHAS

Ouço no rádio alguém dizer que Alice no País das Maravilhas, o livro, está completando 150 anos de existência.
No primeiro momento, lembrei-me do Brasil. Mas foi um pensamento que passou por mim muito depressa, pois o nosso País não é propriamente um país de maravilhas.  É  bonito por natureza, como dizia o Jorge Ben, lá atrás, embora formemos uma nação de entusiastas ao nosso País, que não tem terremotos, maremotos, vulcões, que provocam grandes catástrofes em lugares tão perto de nós como por exemplo, o Chile.
Pois bem, somos um país bonito por natureza, mas não cheio das maravilhas narradas por Charles Lutwidge Dogson (1832/1898).
Dogson era nada mais nada menos do que Lewis Carroll para todos nós.
A notícia do rádio fez-me lembrar os grandes autores pioneiros do encantado universo da cultura literária infantil, como os irmãos Grimm e Andersen, sem falar em Fontaine.
Naqueles tempos, tempos antigos, tempos em que gato falava e galinha tinha dentes, as histórias infantis não eram bem infantis. Eram violentas, tenebrosas até.
Tenebrosas como as histórias que a gente lê nos jornais e ouve de boca em boca sobre a Pátria espoliada de uma cera Dilma que nas caricaturas dos impagáveis cartunistas aparece com dentes de coelhinho.
O belíssimo livro Alice no País das Maravilhas, que tantos filmes e peças teatrais tem inspirado mundo afora, a mim me deixou marcas indeléveis.
Alice é uma menina incrível, que a curiosidade leva para a toca dum coelho. Na toca, a história começa e nunca termina.
Na toca do coelho em que Alice caiu, há ratos e livros que enriquecem a história.
Na república dos desalmados nunca há livros, há ratos.
Aliás, você sabia que a média de livros lidos/ano por pessoa no Brasil é de apenas 1,7?
Eu vejo em Alice uma menina incrível no mundo fantástico, no mundo completamente deteriorado, no abismo, praticamente em extinção, um pouco parecida com a Mafalda do meu querido Quino.
A menina Mafalda acabou de fazer 50 anos.
Mas, eu estava falando era de Alice.
Alice está fazendo amanhã 150 anos de história publicada, mas continua menina e sapeca.
Viva Alice!

Você quer saber mais sobre o mundo encantado das histórias infantis?

Nenhum comentário:

POSTAGENS MAIS VISTAS