Seguir o blog

sábado, 19 de março de 2016

O BRASIL TÁ SE MEXENDO...


O editorial de hoje do Times novayorquino mostra espanto na explicação da presidente brasileira, Dilma, para a escolha do ex-presidente Lula para o cargo de Ministro-Chefe da Casa Civil. Diz o editorial que Dilma está totalmente desacreditada perante a população e, pois, sem cacife para justificar o que tentou justificar e que terminou brecado por decisão, ontem à noite, do juiz Gilmar Mendes, do STF.  
A opinião do jornal leva-me a pensar sobre as enormes dificuldades que os jornalistas estrangeiros estão enfrentando para explicar a seus leitores a situação política e econômica que o Brasil e os brasileiros estão ora enfrentando. É kafquiana a situação.
O vendaval de novidades que ouvimos no rádio e na televisão chega a ser assustador. A cada instante nos chegam notícias que estarrecem o mais apolítico dos cidadãos. Ele é ministro, não é ministro, o que é que ele é? Ele é Lulla.
Collor aprontou o diabo e caiu empurrando um carro Elba.
Dilma pode cair por causa de um Santana e otras cositas más...
O pernambucano Luiz Inácio Lula da Silva nasceu pobre de marré-marré e ficou, embora rico, pobre. Mas, tem muitos amigos de posses estratosféricas.
A biografia de Lula é uma biografia incrível, até certo ponto.
Lula enfrentou milhões de problemas, familiares inclusive, mas sobreviveu a todas as intempéries que a vida lhe impôs como desafio. Dançou forró na casa de espetáculos de Pedro Sertanejo, na Vila Carioca, SP, fez bicos, virou metalúrgico em São Bernardo, fez animação de comícios como personagem central antes de ser deputado Constituinte e Presidente da República. De tabela, transformou-se numa das personalidades mais conhecidas e respeitadas do planeta. Mas, aparentemente, borrou essa biografia com atos que a sociedade civilizada condena. Improbidade, por exemplo.
Aristóteles foi o cara que nos trouxe à luz os fundamentos necessários para o bom-viver em sociedade. Mas ele foi muito mais, ele fez muito mais. Sua teoria de causalidade universal abriu a mente do homem desde seu tempo. Depois de estudar a vida humana, a natureza, a astronomia, ele empacou numa figura invisível, sem nome pra ele, mas que outros filósofos entendem como Deus. Aristóteles identificou as virtudes humanas e definiu a Justiça como meio de apaziguamento social. A ética para ele é algo muito importante na vida, ao contrário do que pensa o pernambucano Luiz Inácio Lula da Silva.
Ler como divertimento ou para entender o que a nós se apresenta como incompreensível, é fundamental. Mas Lula não gosta de ler, ele mesmo já disse isso publicamente.
É do escritor paulista Monteiro Lobato a frase: “quem lê mais, sabe mais”.
Aristóteles falou com excelsa propriedade sobre tudo ou quase tudo que hoje conhecemos.
A Grécia era conhecida como a Pátria da Filosofia e Atenas a Cidade do Conhecimento.
O Brasil de Dilma é a Pátria Educadora. E que pátria!

Escrevi:

Todo dia é dia
De Brasil especial
De Brasil de todos nós
De Brasil nacional

O Brasil tá se mexendo
O Brasil tá em ação
Procurando um caminho
Pra sair da contra-mão

A tarefa não é fácil
E tem lá seus empecilhos
Mas já passou da hora
De o Brasil andar nos trilhos

Faz tempo, muito tempo
Que o Brasil sofre calado
Apanhando em silêncio
De modo resignado

E tudo isso tem a ver
Com roubo e corrupção
O que deprime o País
E revolta a Nação

Mas o mal não é eterno
Nem eterna é a dor
Eterna é a vida
Que dá asa a beija-flor
                                      




Nenhum comentário:

POSTAGENS MAIS VISTAS