Seguir o blog

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

SEM TRILHA DE CHICO, RODA VIVA VAI AO AR

Ideologicamente alinhado com o marxismo-leninismo, o deputado federal licenciado Roberto Freire estará logo mais à noite, no centro do Programa de entrevistas mais importante da televisão brasileira, Roda Viva, levado ao ar pela tevê Cultura de São Paulo. Freire é o novo titular do Ministério da Cultura, em substituição ao diplomata Marcelo Calero.
O que fará Freire agora como ministro?
Hoje em dia, e há muito tempo, só se fala em falcatruas praticadas por agentes políticos das esferas municipal, estadual e federal. Um horror! É corrupção prá todo lado!
A corrupção é uma praga tão antiga quanto o ato de copular. Isso em todos os recantos do planeta e em todos os tempos. E como toda praga essa praga não presta.
Mas tem muito cabeção travestido de autoridade que parece não acreditar nisso, caso do Geddel baiano, que caiu em desgraça ao ser denunciado por tráfico de influência. O caso, trazido à tona por Calero, continua agitando os meios políticos. Pego de calça curta, Temer está dançando miudinho. Ah! Agora sem Geddel, o presidente tampão diz estar à procura de um substituto totalmente ilibado. Tarefa difícil, não é mesmo?
Há muito tempo, o noticiário político está se misturando com o noticiário policial. Difícil saber em que editoria cabe uma ou outra notícia.
A revista Isto É, edição desta semana, informa que muitos assaltantes do erário público, beneficiados pela lei de "delação premiada", estão sendo ameaçados de morte. O Celso Daniel foi morto por bem menos.
Mas como eu ia dizendo, o novo ministro da Cultura estará logo mais no centro do Roda Viva. Tomara que ele fale legal sobre a nossa cultura popular.
Chega de tanta falcatrua, chega de tanta roubalheira!
O Roda Viva vai ao ar hoje sem a trilha sonora assinada por Chico Buarque. Foi o próprio Chico que pediu que sua música fosse retirada do programa. Sua decisão deve-se ao fato de ele ter visto uma entrevista de Michel Temer como presidente da República. Hummmm..... Esquisito, não é? O Chico como censor. A propósito, poucos homens de grande destaque na vida brasileira não foram ao Roda. Chico, é um deles.

O programa Roda Viva tem 30 anos de existência. Durante esse tempo, centenas de pessoas foram entrevistadas, mas além de Chico, e embora convidadas, se amoitaram Pelé e Roberto Carlos. O Vandré também não foi, mas não foi porque certamente não foi convidado. Isso me faz lembrar a vez em que entrevistei o bom baiano Dorival Caymmi. Perguntei-lhe a razão de não achar a sua voz em discos de outros artistas. Resposta:
- Ninguém me convida.
Em entrevista ao velho e bom Roda Viva a atriz Irene Ravache fala sobre política e traição:



-


Nenhum comentário:

POSTAGENS MAIS VISTAS