Seguir o blog

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

FELICIDADE, GUERRA E NATAL

Hoje cedo eu soube que a polícia italiana deu cabo do tunisiano suspeito de atirar um bólide contra um mercado de bugigangas vendidas nessa época de natal, na capital alemã, Berlim.
Estamos vivendo, e há muito, tempos de horrores.
No correr deste ano, o terror orquestrado pelo Estado Islâmico fez-se presente em várias cidades européias, em nome de Alá.
Alá no mundo islâmico é Deus.
Deus é a imagem que criamos do Criador.
Diz-se nos escritos sagrados que Deus é semelhança do homem.
Meu Deus!
Deus, segundo os escritos sagrados, é o pai do mundo, e de nós, seus habitantes e demais seres vivos, como o gato e o cachorro.
O filho de Deus é Jesus Cristo, nascido de uma mágica entre Maria e o Espírito Santo, anunciado pelo anjo Gabriel.
Jesus nasceu há 2 mil e poucos anos em Belém e criou-se Nazaré, que fica naquela região de incompreensão entre os homens. Refiro-me à Israel, Palestina, Oriente Médio, onde o pega prá capar dura até hoje.
Por que os homens não se entendem?
José, o carpinteiro, e sua companheira Maria, fugiram das garras de Heródes e enfrentaram a violência das intempéries das terras áridas do Egito. Um sofrimento da gota serena viveu o casal. Até que ele e ela encontraram um cantinho para o Menino nascer.
Foi um nascimento solitário, triste e heróico pelo que se deduz das histórias contadas nos escritos sagrados.
As primeiras pessoas a dar boas vindas ao casal e ao recém nascido foram uns cientistas. Fala-se de três reis magos.
Na Bíblia, sabemos, não há referência específica a "três" reis magos, pode ter sido um, dois, três, quatro, cinco... A Bíblia refere-se a três presentes, não necessariamente dados por três pessoas ou reis ou magos.
Mago, sabemos, é pessoa que faz mágica. É um mágico.
As primeiras pessoas que atravessaram o deserto no Oriente levaram ouro, incenso e mirra, significando respectivamente fortuna, começo e fim de uma vida ou época. Era, à forma dos visitantes, receberem o Messias representado no filho de Maria e José.
O mundo continua pegando fogo, naquela parte em que Jesus nasceu.
Bachar al-Assad é um Anti-Cristo.
Vocês leram "As Profecias de Nostradamus"?
Vocês, que são católicos, ainda lembram da tábua com os dez mandamentos?
Eu, quem sou eu, não vou entrar nos detalhes da tábua apresentada às ovelhas pecadoras por Moisés, até porque sou pecador do tamanho de um trem.
O mandamento que se refere à vida e morte não foi, pelo jeito, compreendido e tampouco praticado por nós.
Gritamos, berramos. xingamos, cometemos ilícitos, acusamos e no fianl, morremos sem saber porque.
Há uma vasta literatura sobre a existência humana e dos animais em geral.
O vento é vida, o mar é vida, o sol é vida, a lua é vida...
Meu Deus, o tempo passa e cada vez pioramos.
O Natal está presente entre nós desde o segundo século da Era Cristã.
Eu disse que há uma literatura riquíssima sobre o assunto, não foi?
Peter Alouche é um ser nascido naquelas bandas do Egito. É um amigo meu, fala milhões de línguas, talvez até o hebraico. Em Nancy, França, ele fez Letras e antes disso chegou a ser até elogiado em correspondência pelo presidente Charles De Gaulle, por um poema que fez em enaltecimento à liberdade. E, católico que é, compôs em poesia, uma história incrível em que cria um encontro fabuloso entre um trabalhador e Jesus Cristo, numa véspera de Natal no metrô de São Paulo. Clique:


Nenhum comentário:

POSTAGENS MAIS VISTAS