Seguir o blog

terça-feira, 28 de março de 2017

MOMENTO DE EMBURRECIMENTO GERAL

A crise, melhor: as diversas crises que nós todos, brasileiros, vivemos são históricas em todos os sentidos.
Crise política, crise econômica, crise de sem vergonhice e de falta de vergonha na cara assolam o País nos últimos mais ou menos dois anos.
Milhares e milhares de empresas de todos os tamanhos têm tido suas portas cerradas e pelo menos 13.000.000 de brasileiros, trabalhadores e trabalhadoras, foram para o olho da rua; para a rua da amargura.
Entre as centenas, milhares de empresas fechadas, acham-se editoras e livrarias, de norte a sul do País.
O ministro da propaganda e loucuras de Hitler, Joseph Goebbels, está se rebolando de alegria no túmulo, certo? 
Goebbels adorava queimar livros e gente nas fogueiras da sua loucura e da loucura de Hitler.
Entre 1999 e 2014, subiu de 76,6% para 97,1% o número de bibliotecas nos municípios brasileiros. Nesse mesmo período, caiu de 35,5% para 27,4% o número de livrarias nos municípios brasileiros. Quer dizer: há mais bibliotecas nos municípios brasileiros do que livrarias. Incrível, não é?
Em nosso país, há 5.571 municípios.
Todos ou quase todos os bons leitores e intelectuais que vivem em São Paulo passaram pela livraria Cortez, para comprar e ler novidades da Cortez Editora e de outras editoras que a livraria disponibilizava a todos os públicos de todos os sexos e idades.
Eu e todo mundo compramos livros lá e nos fizemos amigos de José Xavier Cortez e da sua equipe de profissionais, hoje dispersa.
A livraria Cortez cerrou suas portas em 2016. Em 2011 lançamos nessa livraria i livro infanto-juvenil A Menina Inezita Barroso. Confira abaixo:


 

Uma livraria é um templo do saber e, como tal, jamais deveria ter suas atividades encerradas. Mas Brasil é Brasil, não é mesmo?
Ultimamente só se fala de corrupção e político safado, e não são poucos! 
As palavras educação e cultura foram violentamente separadas uma da outra...
Ontem, 27, centenas de pessoas protestaram contra a política cultural do prefeito João Dória.
Os manifestantes encerraram o ato de indignação abraçando o Teatro Municipal, onde o prefeito deblaterava sobre não sei o quê.
E sabem o que eu acho do momento em que vivemos?
Vivemos um momento de hipocrisia e de emburrecimento geral e as vítimas dessa "política" não são poucas, somos todos nós. Pois é, e como esquecer o paulista Monteiro Lobato, Lobato, o grande Monteiro Lobato, cunhou uma frase que diz tudo: "quem lê mais, sabe mais".

Nenhum comentário:

POSTAGENS MAIS VISTAS