Seguir o blog

sexta-feira, 28 de abril de 2017

É GREVE OU É O QUÊ QUE ESTÁ NAS RUAS?

Ouço no rádio notícias dando conta que em algumas cidades brasileiras o pau está quebrando no lombo de quem ousa ir ao trabalho, isto é,  de quem tem trabalho. A Polícia, por sua vez, está tendo um trabalho e tanto.
Os fatos de hoje espalhados Brasil afora remetem-me aos idos das décadas de 1970 e 1980, quando Lula botava prá quebrar, a partir do paulistano município de São Bernardo. 
Nos anos 70 e 80, as greves eram diferentes e totalmente propositadas, pois o regime autoritário imposto pelos militares e civis, graduados em 1964,  não era brincadeira.
Pois bem, naquele tempo, a classe trabalhadora que tinha em Lula um herói chiava em busca de liberdade, de salário e condições adequadas de trabalho. Neste 28 de abril fala-se em greve geral da classe trabalhadora, mas não é isso o que se vê. O que se vê é um movimento que reúne representantes dos mais de dezessete mil sindicatos e centrais sindicais brasileiras, tendo à frente a CUT e a UGT. O presidente da UGT nem é trabalhador, como se ouve no rádio e vive bem como todos deveríamos viver, morando no chic bairro paulistano de Higienópolis.
Algum leitor desavisado deste blog pode achar que eu sou isso ou sou aquilo, mas não, eu sou um brasileiro que comeu e continua comendo fogo, agora sem visão nos olhos, e invisível como o são os milhões de cegos espalhados Brasil afora. 
Não, não estou lamentando.
Falo da dura realidade que atinge os brasileiros de modo geral.
Agora há pouco também ouvi no rádio, notícia dando conta de que o instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE acaba de soltar o resultado de uma pesquisa que revela estarem, atualmente, desempregados, 14,2 milhões de trabalhadores e trabalhadoras, sem contar os trabalhadores e trabalhadoras que já desistiram de arrumar emprego.
Isso é um dado extremamente triste, não é mesmo?
Num tempo não muito distante faziam-se greves por melhoria de trabalho e salário, eu já disse.
Foi no governo do ditador "Pai do Povo" Getúlio Vargas que instituiu-se o imposto sindical, que rende uns setenta ou oitenta bilhões de reais para manterem-se vivos os sindicatos etc.
No Congresso anda prestes a ser aprovado um projeto que elimina esse imposto. Será por isso que as Centrais Sindicais estão fazendo tanto barulho Brasil afora?
 

Nenhum comentário:

POSTAGENS MAIS VISTAS