Seguir o blog

sexta-feira, 14 de abril de 2017

JUDAS, CRISTO E HÄNDEL


Há dois mil e poucos anos, o homem que veio para nos salvar estava morto e crucificado. A sentença de morte contra Cristo foi cumprida por soldados romanos, em Jerusalém. Antes de morrer, Cristo apanhou e foi humilhado. Era uma sexta feira, como a de hoje.
A Semana Santa começa no domingo de Ramos e termina no domingo de Páscoa, quando é comemorada a ressurreição do Salvador.
Amanhã é dia de malhação ao Judas, representado simbolicamente mundo afora por bonecos. Depois de malhado, o boneco é queimado, para alegria da turba. É uma espécie de vingança contra o cara que traiu Cristo.
O que mais tem hoje é Judas, não é mesmo?
Na Semana Santa de 1742, os irlandeses tomaram conhecimento de uma das mais belas páginas musicais já escritas por um homem: o oratório Aleluia (O Messias), do alemão naturalizado inglês Georg Friedrich Händel, (1685-1759).
Essa peça de Händel traz no seu bojo uma história incrível.
Händel era filho de um pastor e logo cedo sentiu-se atraído pela música.
Com vinte e poucos anos de idade já era conhecido em boa parte do seu país e na Itália, antes de consagrar-se como um dos mais importantes e inspirados compositores da sua época, na Inglaterra.
Quando compôs O Messias,Händel estava com a idade em que morreu Beethoven (1770-1827), ou seja, 57 anos. Aliás, o autor da Nona Sinfonia teria dito, antes de ficar totalmente surdo, que jamais conhecera uma obra tão bonita quanto a obra de Händel.
O Messias foi composta em três semanas e três dias. Consta em 51 movimentos distribuídos em três partes. A parte coral, de 60 vozes, é um prazer à parte (acima). O estilo é barroco. O autor estava financeiramente falido, na ocasião. Sem dinheiro para nada e com os credores batendo à porta. Até seu cozinheiro foi despedido. Ao finalizar a obra, ele teria entrado em estado de total êxtase, chorando e gritando que vira Deus e anjos. Verdade ou mentira, certo ou errado, o fato é que O Messias levou seu nome a todos os cantos do mundo. Detalhe: antes de falir, Haendel não dava muita bola a Deus. Depois ele ganhou muito dinheiro, mas não o amealhou. Tudo o que ganhava, ou quase tudo, ele doava a instituições filantrópicas.
Georg Friedrich Händel nasceu num dia 13 de abril e morreu num catorze de abril, um sábado de Aleluia, cego.


Nenhum comentário:

POSTAGENS MAIS VISTAS