Seguir o blog

domingo, 21 de maio de 2017

CONSTITUIÇÃO E DIREITOS. E TEMER, HEIN?

Mil novescentos e oitenta e oito...Fazendo as contas trinta vezes três = noventa...
Em média e disparadamente a Constituição de 1988 é a mais emendada da nossa história, perdendo, talvez, para a Constituição de 1967, estuprada pelos militares em 1969. A história, porém, não conta com esse estupro, portanto, a mais emendada continua sendo a de 88.
A Constituição de 1824, a primeira e única do Império, durou 65 anos. Junto com a de 1937, foi a mais autoritária.
A Constituição de 1824 dava todos os poderes ao imperador. A de 37, ao ditador Vargas.
Oficialmente foram promulgadas 7 Constituições: 1824, 1891, 1934, 1937, 1946, 1967 e 1988.
A Constituição de 1946 foi a mais bonita, a mais completa, a que reconheceu os direitos do cidadão.
A Constituição de 1891, feita por iniciativa do Marechal Deodoro da Fonseca e Rui Barbosa, baseada na Constituição Norte-americana, foi a primeira a garantir o Habeas Corpus, instrumento importantíssimo, criado para garantir o ir e vir de todos nós.
Cerca de uma centena de emendas foi aplicada à Constituição de 88. e agora querem, mais uma vez, modificar a letra da nossa Carta Magna. Querem eleições diretas. Não dá, né?
Em 1983, o Brasil viveu o movimento popular mas intenso da sua história, foi o movimento pelas eleições diretas.
Em 1983, eram os militares que mandavam no Brasil. Hoje, não.
São Paulo viveu o ápice da Campanha Diretas Já, Lula participou dessa Campanha, participou do movimento, mas na hora H o seu partido pulou fora. Consequência: a emenda Dante de Oliveira foi recusada no Congresso por falta de apenas 22 votos. E conversa vai, conversa vem, Tancredo entrou para a história sem ajuda do PT,  e para desgraça de Maluf, representante dos militares.
O que está na Constituição de 88 deve ser cumprido, indiretas, portanto.
A pergunta que se faz é, porém: Quem substituirá Temer?
Mas dá-se um jeito, pois nem todos os políticos são cabras safados, não é mesmo?
Mas o Brasil sofre, e muito!
O presidente da República tem que ser um cidadão reto, limpo, sem ficha corrida e sem práticas não republicanas, feias, horrorosas.
Tancredo Neves fez história e nada no seu passado o condena, seja como vereador, entre 1935 e 1937, deputado, primeiro ministro, pelo breve tempo de parlamentarismo que vivemos, governador de Minas Gerais e presidente eleito pelo Colégio Eleitoral.
No Senado marginais já estão se mexendo para descumprir a decisão do STF que, depôs do cargo de senador o neto de Tancredo, Aécio.
Viva a Constituição!

BRINCANDO COM A HISTÓRIA (14)



 

Nenhum comentário:

POSTAGENS MAIS VISTAS