Seguir o blog

segunda-feira, 18 de abril de 2011

DONA ZICA PARTIU E NINGUÉM NOTOU. PÕXA VIDA!

Lamentável, sob todos os sentidos: nenhuma linha nos nossos jornais do rádio e tevê, e também no portal UOL e noutros portais e saites de pesquisas como o Google, sobre o encantamento sábado, pouco depois das 20, da artista plástica e autora da valsa Lampião de Gás, Zica Bergami.
Na foto, eu e ela.
Dona Zica se despediu de nós dormindo, com seus 97 aninhos...
Era uma pessoa dulcíssima.
Cheia de vida, alegre.
Eu a conheci há quase trinta anos, de ir a sua casa e beber o uísque - sem gelo, claro - que sempre gostei e que me ofertava sem, por seu turno, tomar um tico sequer.
Andrea brigou comigo várias vezes, pedindo pra me controlar...
Eu, hein!
Dona Zica ria, achava graça disso.
Ela era natural, espontânea, amabilíssima.
Deixou apenas uma filha: Silvinha, maravilhosa.
E eu dizia a Andrea: vamos à casa da Zica, vamos visitá-la, ela tem andado cansada...
Mas não sobrava tempo.
Deus do céu! Como somos desatenciosos à vida e às pessoas de quem gostamos e de quem queremos bem!
Dona Zica era a avó que todos nós gostaríamos de ter, sem dúvida.
Grande pintora "naïf", que a gente do nordeste chama de "primitiva".
Tenho vários desenhos seus valorizando de querência as paredes do meu lar.
E agora, confesso: ela seria a minha próxima “menina” na série de livros que estou preparando e que teve como primeira biografada a rainha da moda, Inezita “Zitinha” Barroso.
Flores em vida como cantava o sábio e querido Nélson Cavaquinho.
Adeus, dona Zica.
Certamente nos reencontraremos em breve.
Detalhe: ao tomar conhecimento do passamento de dona Zica, Andrea avisou o mais rápido a Marcelo, sobrinho e produtor de Inezita dizendo o que havia sucedido. E triste, Inezita, que se aprezentava num palco da programação Virada Paulista, na Luz, espalhou o seu sentimento: partiu para a eternidade uma grande mulher e amiga, a Zica.
A vida é de morte.
Outra informação que não se acha nos jornais de hoje é:
Daqui a pouco, às 21 horas, os amigos Elomar, Xangai, Geraldinho Azevedo e Vital Farias estarão mais uma vez reunidos num encontro de malungos, dessa vez no Memorial da América Latina.
Claro, estarei lá.
Agora pergunto: vocês estão acompanhando o programa O BRASIL TÁ NA MODA, pela Trianon AM 740, e também pela Internet online?
Boa noite.

5 comentários:

Wilson Seraine disse...

É meu caro Assis, não só com Dona Zica, mas também, com a genial Marines, aconteceu a mesma coisa, se nós não fossemos ligados na cultura popular, ninguem saberia que a Rainha do Xaxado fora. Agora D. Zica, é um lastima essa nossa imprensa, se fosse uma dessas fanqueira do rabo de fora, tava na primeira pagina dos jornais. É triste, mas..... Viva Dona Zica.

Anônimo disse...

Caro Assis
Dona Zica é uma das artistas populares mais importantes de São Paulo, traduzindo esta cidade através de suas canções e aquarelas.
Difícil acreditar que as pessoas a esqueceram.
Márcia

Geraldo Nunes disse...

Fiz uma entrevista deliciosa com Zica Bergami no programa São Paulo de Todos os Tempos, em 2002, pela extinta Rádio Eldorado. Acredito que aquela conversa tão informal e cheia de candura, me ajudou na conquista do prêmio APCA 2003 que elegeu meu programa como o melhor de cultura e variedades. Zica Bergami viverá para sempre em nossos corações.
GERALDO NUNES
Jornalista

assis angelo disse...

pena, não é marcia?
pena, não e geraldo?
é bom saber a opinião de vcs, que são jornalistas cmo eu.
no front, algo anda errado.

Rodrigo disse...

Rodrigo Cunha diz...
Eu a conheci a 25 anos,passei várias férias em sua conpanhia, ela pintava e contava as histórias de sua infância e juventude,realmente é inconcebível
o desdem da mídia sobre seu falecimento.Dona Zica a senhora mora nas minhas melhores lembranças e no meu coração.

POSTAGENS MAIS VISTAS