Seguir o blog

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

SERRA X HADDAD?

Leio por aí que está em andamento uma campanha por anulação de votos.
Lamentável.
Escolher o que se quer – ou quem se quer – e participar da vida política e social da cidade, do país, é importante, muito importante.
Provocar ações pessoais, ações coletivas, etc., etc., faz parte de qualquer cotidiano civilizado.
Tanto que, numa sociedade organizada, é direito garantido por Constituição fazer parte ou não de uma agremiação política, por exemplo.
Mas é sempre bom participar.
Não participar do viver cotidiano é zerar-se, é anular-se.
E ser nulo, é ser nada.
Quer dizer, não exercer os direitos garantidos por leis é grave indicativo de inteligência adormecida.
Cidadania é conquista.
Insatisfeito com esse ou aquele candidato, por que não escolher outro?
Sim, votar nulo ou votar em branco é também um direito garantido por lei.
Mas isso tem consequência, e séria.
Quem vota assim pode eleger qualquer um; inclusive o oportunista de plantão sempre à espreita, de má intenção.
Brecht dizia que esse tipo de pessoa, o analfabeto político, é lamentável sob todos os aspectos porque “não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos; não sabe do custo de vida, do preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio, que dependem das decisões políticas”.
O analfabeto político, para Brecht, “é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia política”, pois “não sabe o imbecil que da sua ignorância política nasce a prostituta, o menor abandonado e o pior de todos os bandidos: o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais”.
Portanto, não deixemos que decidam por nós.
Participemos.
Na hora de votar, e sempre, lembre-se do lema de São Paulo, a 5ª maior cidade do planeta com mais de 8 milhões de eleitores: “Não sou Conduzido, Conduzo” (Non Duco, Duco).

CULTURA
Ontem revi amigos num encontro de exposição de ideias sobre cultura, em São Paulo.
Foi no Hotel Jaraguá, ali na esquina da Martins Fontes com a Major Quedinho. Muita gente importante esteve presente, como o músico Hilton Accioli, parceiro de Geraldo Vandré e autor do jingle Lula-lá; a víúva do educador Paulo Freire, dona Ana Maria Araújo (no clique de Darlan Ferreira); a ministra Marta Suplicy... O jurista Dalmo Dalari abriu o encontro. Depois falaram representantes de grupos culturais da cidade, inclusive o anárquico José Celso, do Teatro Oficina. Fernando Haddad encerrou o encontro prometendo fazer uma boa administração como prefeito. Lembrou que seus adversários nem programas de governo têm. Ele convenceu e foi aplaudido.

PESQUISAS
Os jornais de hoje dão notícia de que o fogo de palha Russomanno, que tem se recusado terminantemente a participar de debates na televisão - junto com Serra - caiu 7 pontos numa semana, segundo nova pesquisa Ibope encomendada pelo Estadão e TV Globo. E vai cair mais. A briga pra valer está entre o PSDB e Haddad.

SÉRGIO RICARDO
Você já leu o novo especial resultante de parceria entre o Instituto Memória Brasil e o newsletter Jornalistas&Cia? Então leia e opine, clicando o link abaixo:
www.jornalistasecia.com.br/edicoes/culturapopular06.pdf

U. DETTMAR
PQP! Esse não podia morrer. Dettmar foi um dos maiores fotógrafos brasileiros com quem tive o prazer de trabalhar, na Folha. Era um amigo e tanto! Adeus, quem sabe um dia. E ontem tive a alegr4ia de rever Jorge Araújo, também um grnade companheiro. Também juntos trabalhamos, na mesma Folha. Viva Jorge! 

Nenhum comentário:

POSTAGENS MAIS VISTAS