Seguir o blog

quinta-feira, 3 de março de 2011

NA LIVRARIA CORTEZ, A MENINA INEZITA BARROSO

É hoje!
Chegou, enfim, o dia/noite de lançamento do livro A Menina Inezita Barroso, na Livraria Cortez, que fica ali bem ao lado da Pontifícia Universidade Católica, PUC, esquina das ruas Bartira e Monte Alegre, bairro de Perdizes.
A história da menina começa num 4 de março, há 86 anos, hoje, menos um dia.
Antes de contar a bonita história de Inezita, na infância chamada por familiares e amigos de Zitinha, eu traço um panorama da cidade de São Paulo dos anos de 1920 e 1930, que ainda engatinhava.
Lembro da distância de tudo, dos bairros nascendo, dos operários, dos barões do café, da Semana de 22 e seus personagens, como Brecheret, Menotti Del Picchia, que conheci e entrevistei para o suplemento do Diário Oficial do Estado, Leitura; Monteiro Lobato e Di Cavalcanti, entre outros.
Conto da timidez que impediu a menina de conversar com Mário de Andrade.
E por aí segue a leitura, até o dia que Zitinha assiste a um espetáculo da portuguesinha Carmen Miranda e Grande Otelo no extinto Cassino Atlântico, no Rio de Janeiro.
O livro tem belas passagens ilustradas pelo talento do xilogravador Ciro Fernandes.
Numa página e noutra aparecem nomes da música caipira, como Raul Torres.
E Carlos Gardel?
O que tem Carlos Gardel a ver com Inezita Barroso?
Saiba lendo o livro.
Pois então, vamos todos cantar parabéns pra Inezita e comer bolo e beber guaraná das boas?
Joãozinho do Regional do programa Viola Minha Viola, Papete e mais um monte de gente bonita da nossa música vão estar por lá, ali na Livraria Cortez, a partir das 19 horas.
Quem chegar por último é filho do padre.

3 comentários:

Luiza disse...

E foi lindo demais estar no lançamento. Muita gente querida e talentosa reunida, bolo e a presença irradiante da Inezita. Voltei pra casa lendo o livro no trem, e era inevitável sorrir enquanto passeava os olhos pelas histórias e figuras, tão vivas e coloridas. Juntou as travessuras da Zitinha, as ilustrações, o texto que construía cenários e cenários na cabeça, mais o cheiro do livro novo, e esqueci o povo que estava ao redor no trem. Uma experiência e tanto essa leitura! Parabéns e obrigada, Assis! =)

Miriam disse...

Realmente foi demais... um lançamento e tanto!!! A Inezita é uma pessoa linda!
Assis, obrigada por nos proporcionar a publicacao dessa historia maravilhosa.
Beijos e queijos,
Miriam Cortez

papete disse...

Eu sou mais que suspeito pra comentar alguma coisa, visto que trabalhei com a máxima alegeria com essa brasileira pra lá de autentica e coerente com as coisas nas quais sempre acreditou..., no entanto não poderia de deixar aqui meus parabéns ao Assis pela feitura do livro merecido e à Inesita pela grande dama que é de nossa musica de verdade...

POSTAGENS MAIS VISTAS