Seguir o blog

sábado, 20 de julho de 2019

ESCRITOR TEM MEDO DE DITADURA

Carlos Silvio (conectados) e o escritor Loyola Brandão: Inteligência no programa Paiaiá
É muito bom ouvir um brasileiro falando das bonitezas do brasil.
Melhor ainda quando esse brasileiro tem por nome Ignácio de Loyola Brandão, cidadão que carrega consigo 82 anos de vida e sabedoria.
Loyola, autor de 46 livros, falou bonito no programa Paiaiá (conectados), apresentado semanalmente aos sábados, a partir do meio dia. O apresentador é um baiano arretado, de nome Carlos Silvio. A ele o escritor de Araraquara SP, falou da sua obra e do medo que tem da burrice e de ditadores. À Silvio ele confessou recear os caminhos que o Brasil pode tomar com o capitão-presidente que acaba de dizer que não há fome no Brasil, que pode pôr fim à ANCINE, etc.
A entrevista que Carlos Silvio fez com Loyola Brandão foi uma das mais bonitas que já ouvi no rádio.
A entrevista será repetida amanhã às 19h.

HOJE É DIA DE HOMEM NA LUA


O sonho do homem foi voar, desde Ícaro.
Depois de dar asas à imaginação, o brasileiro de Minas Gerais, Santos Dumont (1873-1932) mostrou ser possível realizar esse sonho.
Grandes potências como Rússia e Estados Unidos, fecharam a cara e partiram em conquista do espaço.
Os russos por pouco não chegaram antes dos norte-americanos à lua.
Os americanos pisaram no solo lunar no dia 20 de julho de 1969, um dia como o de hoje.
Após o feito dos tripulantes da Apollo 11 (Michael Collins, Edwin Aldrin Jr. e Neil Armstrong), o mundo poderia ter ficado melhor. Mas não ficou, como vemos.
Entre 1969 e 1972, foram realizadas seis idas de americanos à lua. Agora o Trump quer retomar essas viagens. É, como ele diz, espécie de treinamento para se pisar em Marte. O feito de Collins, Aldrin e Armstrong ganhou estupefação naquele 20 de julho. Todas as revistas, jornais, rádios, TVs etc. registraram o fato. 
Pesquisa recente da Datafolha diz que 7% dos brasileiros, algo em torno de 11 milhões acham que a Terra é plana. Esse assunto é antigo. Os pré-socráticos também achavam isso, mas Pitágoras 5 ou 6 séculos antes de Cristo já cria no contrário, como Copérnico (1473-1543).
No acervo do Instituto Memória Brasil se acham muitas reportagens (acima) e entrevistas sobre o assunto. No tocante à discografia, o acervo do IMB também guarda relíquias.

quarta-feira, 17 de julho de 2019

LOYOLA, UM IMORTAL NA CONECTADOS!


Ler o araraquarense Ignácio de Loyola Brandão é, antes de tudo, um prazer sensivelmente racional. E fantástico.
Loyola, como escritor, é um fabulista realista de dimensões que vão além do simples livre pensar. Nascido no fim do mês de julho de 1936, cresceu apostando que seria um dos textos literários mais importantes do Brasil. Aposta feita, aposta ganha.

Zero é o primeiro, ou o segundo, romance desse cabra nascido nas brenhas brasileiras de Araraquara. Tornou-se jornalista e observador do mundo. Começou do zero pra chegar ao ponto mais alto que um intelectual pode aspirar.
O escritor Ignácio de Loyola Brandão, 82 anos, foi escolhido por unanimidade para ocupar a cadeira de número 11 da Academia Brasileira de Letras (ABL), no dia 14 de março deste ano.
A ABL foi fundada por Machado de Assis, no dia 20 de julho, de 1897.
Tive a alegria de conhecer esse Ignácio nos anos de 1970, na Folha em que eu trabalhava.

Neste sábado, a partir do 12h, ele conversará com um dos maiores entrevistadores do Brasil atual: Carlos Sílvio, no programa Paiaiá na Conectados. O ilustre entrevistado fez até uma chamadinha muito bonita a que o blog do ASSIS ÂNGELO teve acesso.

segunda-feira, 15 de julho de 2019

VIOLONISTA GAROTO PARTICIPOU DA REVOLUÇÃO DE 32


O 9 de julho de 1932 era para ser deflagrado no dia 14, mas foi no dia 8.O dia 9 foi o dia em eclodiu a Revolução Constitucionalista. Antes, no dia 23 de maio, os jovens estudantes Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo foram assassinados pela força policial do ditador Getúlio Vargas (1882-1954) na Praça da República, na capital paulista.O Assunto é amplo. E muita gente boa participou da Revolução, como o poeta Guilherme de Almeida e o violonista Garoto. Leia mais:https://assisangelo.blogspot.com/2018/07/viva-guilherme-de-almeida.htmlNo acervo do Instituto Memória Brasil, IMB se acham todos os discos com músicas sobre o movimento, sangrento, que forçou Vagas a apresentar uma nova Constituição em 1934.Ai na foto, alguns registros sobre o movimentado ano de 1932 em São Paulo.

quarta-feira, 10 de julho de 2019

JOÕES E PAULOS MORREM TODOS OS DIAS...


A morte de Paulo Henrique Amorim levou-me à lembrança da morte do Paulo Francis.  Amorin morreu aos 77 anos e Francis, aos 67.

Eu conheci Amorin no tempo em que trabalhávamos na Globo.
Eu conheci o Francis no tempo em que trabalhávamos na Folha de SP.
Paulo Henrique Amorin imitava, ou tentava, imitar o jeitão do Francis.
O Francis tinha a postura de um rei, de um ser superior, de um galo diante de uma galinha. Voz poderosa. Os óculos do Francis carregavam a força do seu pensamento.
O Amorin  tentava uma certa simplicidade, que não correspondia com o seu falar, com o seu comportamento. O Francis era o contrário: assumia-se como personagem arrogante da vida cotidiana.
Paulo Henrique uma vez me ligou pedindo-me opinião sobre cultura popular e política. Falei de tudo que rege a vida brasileira. Essa entrevista foi publicada no seu, blog Conversa Afiada.
Paulo Francis, com a arrogância do seu personagem conseguia ser mais natural do que a simpliscidade forjada de Paulo Henrique.
Em outubro de 1996, Francis denunciou a diretoria da Petrobrás por roubalheira. Disse que os diretores tinham 50 ou 60 milhões de dólares depositados em conta sigilosas na Suiça. Mês depois ele recebeu comunicado dos advogados dos denunciados de que estava sendo processado. A defesa da Petrobrás pedia do denunciante 100 milhões dólares por calúnia, etc. Francis desesperou-se. Três meses depois um ataque no coração o levava ao túmulo. Isso, no dia 04 de fevereiro de 1997.
Paulo Henrique Amorim morreu numa madrugada, Paulo Francis também.
PAULO BOMFIM O POETA FOI-SE EMBORA, NO DIA SEGUINTE A IDA DO BOSSANOVISTA JOÃO GILBERTO. PAULO DEIXOU-NOS UMA OBRA POÉTICA DE EXTREMA IMPORTÂNCIA. ELE FAZIA POESIA COM QUEM BRINDA A ALEGRIA DE ALGUÉM, COMO QUEM RESPIRA, COMO ALGUÉM QUE SEMPRE SOUBE QUE A VIDA É PLUF! O PAULO, CLARO, SEMPRE O ADMIREI. TENHO ALGUNS LIVROS QUE ELE A MIM DEDICOU. CHEGOU A PARTICIPAR DO PROGRAMA QUE EU APRESENTAVA NA RÁDIO CAPITAL. PAULO NÃO MORRUE, PAULO BOMFIM VIVE. AH! IA-ME ESQUECENDO: O POETA PAULO CHEGOU NA GARVAR UM LP MUITO BONITO EM QUE ELE DECLAMA ALGUNS DOS EUS POEMAS. POUCOS SABEM: O ARTISTA MINEIRO TÉO AZEVEDO CHEGOU A MUSICAR DOIS OU TRÊS POEMAS DO PAULO.
Mas para lembrar o poeta assista-o a entrevista na TV Gazeta, no programa Todo Seu:

POSTAGENS MAIS VISTAS