Seguir o blog

segunda-feira, 20 de março de 2017

BOI DA CARA PRETA?

O mundo está de olho no Brasil. Não é de hoje, mas hoje principalmente. E o motivo é o golpe desferido por empresários ligados à pecuária. Melhor: exportadores de carnes bovina, suína etc.
O Brasil exporta carnes para mais de 150 países, dentre os 193 devidamente cadastrados pela Organização das Nações Unidas, ONU.
Mais da metade da população chilena consome carnes brasileiras.
A China é o país que mais compra carnes ao Brasil. E se a China decidir deixar de consumir o que compra aqui, hein? E não podemos esquecer que o nosso país é o que mais cria boi no mundo.
O boi, o nosso boi está em todo canto. No folclore, inclusive.
Há história de boi a dar com pau.
No Nordeste, quando a mulher se acha "naqueles dias", diz-se que ela está de boi. Até nisso!
Na literatura de Cordel, há histórias incríveis em que o boi é personagem.
Você conhece a história do Boi Misterioso, do paraibano Leandro Gomes de Barros?
O que eu acho do escândalo denunciado pela Polícia Federal e que ganhou o nome Carne Fraca?
Eu acho que esses empresários felas merecem ser surrados em praça pública e ter seus bens confiscados em nome da justiça. E, claro, cadeia neles!

CASEMIRO DE ABREU NÃO MERECIA FEBRE

Eu e todo mundo pensamos que a febre amarela já havia sido erradicada, ledo engano. Mas essa febre é bobagem diante da onda de corrupção que há muito afoga o Brasil e brasileiros.
A febre mostrou sua cara amarela há poucos dias no município de Casemiro de Abreu.
Casemiro não merecia isso.
O poeta autor do poema clássico Meus Oito Anos nasceu no dia 04 de janeiro de 1839. Com dezesseis anos de idade, foi por seu pai levado a estudar em Portugal. O pai era português e a mãe, brasileira. O menino Casemiro sempre detestou o trabalho pesado. O pai era um rico negociante e ele, tudo que queria na vida era ser poeta. O pai detestava poesia, por isso o levou a Portugal.
Ao voltar ao país, Casemiro foi fisgado pela boemia. E logo enganchou-se num rabo de saia e casou. Em seguida pegou uma tuberculose das brabas e morreu no dia 18 de outubro de 1860, aos 21 anos. Antes, em 1859, ele reuniu alguns poemas e publicou o primeiro e único livro: Primaveras.
O tempo passou, e Casemiro virou o nome do município Casemiro de Abreu onde, agora, instalou-se de volta a praga da febre amarela.
Viva Casemiro de Abreu e pro inferno, a febre amarela!

Meus Oito Anos



Oh ! que saudades que eu tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais !
Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais !
Como são belos os dias
Do despontar da existência !
– Respira a alma inocência
Como perfumes a flor;
O mar é – lago sereno,
O céu – um manto azulado,
O mundo – um sonho dourado,
A vida – um hino d’amor !
Que auroras, que sol, que vida,
Que noites de melodia
Naquela doce alegria,
Naquele ingênuo folgar !
O céu bordado d’estrelas,
A terra de aromas cheia,
As ondas beijando a areia
E a lua beijando o mar !
Oh ! dias de minha infância !
Oh ! meu céu de primavera !
Que doce a vida não era
Nessa risonha manhã !
Em vez de mágoas de agora,
Eu tinha nessas delícias
De minha mãe as carícias
E beijos de minha irmã !
Livre filho das montanhas,
Eu ia bem satisfeito,
De camisa aberta ao peito,
– Pés descalços, braços nus –
Correndo pelas campinas
À roda das cachoeiras,
Atrás das asas ligeiras
Das borboletas azuis !
Naqueles tempos ditosos
Ia colher as pitangas,
Trepava a tirar as mangas,
Brincava à beira do mar;
Rezava às Ave-Marias,
Achava o céu sempre lindo,
Adormecia sorrindo,
E despertava a cantar !
Oh ! que saudades que eu tenho
Da aurora da minha vida
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais !
– Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais !

 

domingo, 19 de março de 2017

VIVA OS PROFESSORES DO BRASIL

Outro dia uma colega de profissão tratou-me por professor, em entrevista à CBN ou PAN, não importa. Importa Educação.
O tema Educação, formação de gente e cidadania, data de tempos d'antanho.
Os japoneses são incríveis em tudo, inclusive no campo da Educação.
Mas antes dos japoneses, outros povos primaram pela Educação. Pela Educação e Cultura.
Não foi à toa que Atenas ficou famosa como a "cidade da Filosofia".
O Brasil está nem sei em qual lugar, mas certamente lá atrás no que se refere à Educação e Cultura.
No mundo, segundo a ONU, há 196 países.
O Japão, os EUA, A Coréia do Sul, apostam na Educação e Cultura. E nós, Brasil?
Desde há muito vejo professores em passeata, gritando, berrando, chamando a atenção de todo mundo para a situação lamentável em que sempre vivem: ganham pouco e são exigidos demais.
Professor brasileiro e professora brasileira vivem ao Deus dará o tempo todo.
Sai governo, entra governo e a situação referente à Educação e Cultura é a mesma. Pior: involui.
Quando o paulista Campos Sales foi conduzido à Presidência da República por influência de Prudente de Moraes, um assassino, a população do Brasil somava 80% de analfabetos.
Hoje, há no Brasil cerca de 25% de analfabetos funcionais. Somados a esses, há pelo mesmos 12 ou 13% de analfabetos totais, ou seja: aqueles que têm dificuldade de identificar um "o" de uma roda de caminhão.
No dia em que pai e mãe entenderem que precisam se juntar aos professores, mestres dos seus filhos, o Brasil poderá mudar.
Viva os professores!


SÃO JOSÉ DE GRAÇA E FESTA

É dia de São José
E de festa no Sertão
É dia de alegria
Com muita chuva no chão
Convidando o sertanejo
A investir na plantação

No tempo de seca brava
É brabeza no sertão
É muita promessa feita
Em colar de oração
Pedindo a São José
Que bote chuva lá no chão

Os sinais vêm lá do Céu
Com muito raio e trovão
No começo é só chuvisco
E depois é chuviscão
Enchendo logo tudo
De beleza no sertão

E chegam as borboletas
Ancoradas em cordão
Colorindo a natureza
Com as cores do Sertão
E fica tudo bonito
É bonito meu irmão!

(Assis Ângelo)


O Santo José é padroeiro do mundo. Seu nome está em todo canto, desde que desposou Maria e dela nasceu Jesus, previamente anunciado por um anjo Gabriel. Faz tempo, muito tempo.
Maria nasceu em Belém ou Nazaré ou sei lá!
José nasceu ali pelas bandas de onde nasceu Maria.
O casal não teve filhos nos primeiros 20 anos. O primogênito foi Jesus, Jesus de Nazaré. Depois dele vieram Tiago, José, Simão e Judas. Esses eram nomes muito comuns à época. Entre os discípulos de Jesus, por exemplo havia dois Tiagos. Tá na Bíblia. Ver Mateus e Lucas.
A Igreja Católica interpreta diferente o que há em Mateus e Lucas.
Para a Igreja Maria nasceu virgem e virgem viveu até morrer, aos 72 anos de idade.
Mas essa é outra história...
No Brasil, São José é padroeiro de centenas e centenas de municípios, alguns deles trazem seu nome: São José do Rio Preto, São José dos Campos...Só em Pernambuco, há 23 municípios em que ele consta como padroeiro.
No Nordeste, diz a lenda, que São José é a última esperança para o ano ser de chuva. Se não chover até o dia 19 de março, quem plantou perde tudo e quem não plantou ganha por não plantar.
Em 1952, ano em que nasci, Luiz Gonzaga lançou a bela cantiga São João do Carneirinho, dele e do mestre Guio de Morais. Ouçam:


São José é padroeiro do mundo todo e o mundo todo canta São José e também Santa Maria. O francês Georges Moustaki que compôs e gravou essa pérola, que ganhou versão da roqueira Rita Lee.








sábado, 18 de março de 2017

AI, AI ,AI A CARNE É FRACA.

" ação de corromper, de produzir a putrefação; estado das coisas corrutas: A corrução da carne... "
A definição da palavra corrupção ou corrução está no primeiro Dicionário da Língua Portuguesa do português Francisco Caldas Aulete (1826-1878). Foi impresso na segunda parte do século 19. Mais precisamente em 1881. E mais do que nunca esse verbete continua em moda no nosso país.
A corrupção ou corrução não nasceu no Brasil, é claro. Data de tempos remotos, Acho que desde quando o homem desceu das árvores e seguiu maltratando o seu oposto, a mulher.
Na Grécia Antiga, havia um cidadão de nome Diógenes que passou bom tempo da vida procurando um ser honesto. Não sei se achou, mas se ele vivesse no Brasil a tarefa seria mais difícil.
Não é exagero dizer que em nosso país a corrupção é praga que viceja em tudo quanto é canto. Até na Igreja.
No século 16 o nosso primeiro poeta improvisador ao som de viola, Gregório de Matos (1636-1696), já falava à exaustão sobre corrupção e corruptos e a decadência da cidade de Salvador. Além de poeta, ele era advogado e bispo da Igreja Católica. Por causa dos seus poemas e da sua verve pagã, Matos foi por um tempo exilado em Angola, África.
No começo do século 20, o paraibano Leandro Gomes de Barros deixava nos seus folhetos o registro de corrupção e desmandos de toda ordem praticados pelo governador de Pernambuco, onde morreu.
A corrupção, repito, está em todo canto.
A Odebrecht foi fundada no ano de 1944, em Salvador. Cresceu e estendeu os seus tentáculos cavernosos pelo Brasil inteiro e mais vinte países. E tome corrupção!
O Brasil e o mundo acabam de ser de novo surpreendidos com atos de corrupção, dessa vez praticada por donos e dirigentes dos mais importantes frigoríficos. Mais de Vinte. Quer dizer, a podridão chegou agora no campo das carnes de bois, aves e porcos. A propósito, seguem estes versos:


Neste mundo velho tem:
Cafetina e cafetão
Rapariga e cafajeste
E bandido em profusão
Mostrando como se rouba
O dinheiro da Nação

É um mundo muito louco
Um mundo em perdição
De muito fela da puta
Que vive da corrução
Fazendo pouco do povo
Que sofre na sua mão

E assim o mundo vai
Com corruto e corrução
Mentira e malandragem
E deputado ladrão
Roubando o quanto pode
Sem ter medo da prisão

(Assis Ângelo)

O Brasil, segundo dizem, é o maior produtor e exportador de carnes do mundo. Em 2016, 152 países compraram esse produto. Se você não tinha uma razão para deixar de comer carne, agora tem:






POSTAGENS MAIS VISTAS