Seguir o blog

terça-feira, 20 de junho de 2017

SIBÉRIA DE POETAS

O temerário Temer está em Moscou, Rússia. E se ele desse uma esticadinha até a Sibéria e por lá ficasse, hein?
Por cá, no Hemisfério Sul, o frio está de lascar. Aliás, o Outono termina hoje e o inverno começa amanhã, por volta da uma da madruga. 
Os termômetros marcam temperatura baixíssima em boa parte do Brasil. Chegou a gear em várias partes...Na Sibéria, o frio é pior do que aqui. Brrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr!
Houve tempo em que o governo russo mandou jornalistas, romancistas e poetas a dar duro na Sibéria. Temer diz-se poeta, portanto tem credenciais prá ir prá lá, nénão? Diz-se poeta, mas poeta de fato não é. Um bom poeta sabe o que é métrica, rima e oração, regras básicas para o bom fazer poético.
Dias atrás a Polícia Federal enviou a Temer um longo questionário, mas não obteve respostas. Isso faz-me lembrar o gaúcho Mario Quintana (1906-1994), esse sim poeta.
Quintana disse uma vez: "a resposta certa não importa nada: o essencial é que as perguntas estejam certas". 
Pois é, Mario Quintana é aquele que também um dia escreveu num belo poema o verso; "todos passarão e eu passarinho".
Eu nunca soube que Temer, Dilma e Lula tenham lido algum livro de teor literário. Lembro do Lula dizendo que ler não é importante.
Eu, hein?

MULHER SAPIENS 


Na tirinha abaixo mestre Fausto fez-me lembrar as tiradas sui generis da doutora Dilma. Certa vez eu a ouvi discorrer sobre "a mulher sapiens", prá quem perdeu, não custa clicar:



BRINCANDO COM A HISTÓRIA (29)




segunda-feira, 19 de junho de 2017

O POETA TEMER. POETA?

 Brasil é uma esculhambação só desde a queda do imperador Pedro II, em 1889.Dom Pedro foi um intelectual, uma pessoa extremamente afinada com a cultura. Foi um bom viajante e levou o nome do nosso País à várias partes do mundo, e de modo positivo. Chegou até a manter amizade com o mais importante poeta e romancista francês Victor Hugo (1802-1885), e a compor músicas.
O primeiro presidente do Brasil  Marechal Deodoro da Fonseca, não escreveu livro nenhum, mas convocou a primeira Constituinte republicana. Não consta que gostasse de literatura, como o seu sucessor Floriano Peixoto. Não consta também que o primeiro presidente civil do País, Prudente de Morais, lesse ou escrevesse livros.
Campos Sales e Rodrigues Alves, 4º e 5º presidentes republicanos, respectivamente, também nada escreveram ou leram algo do campo literário.
Michel Temer, 37º presidente dessa república construída e devastada por pessoas de má índole, na maioria, não seguiu exemplos dos seus primeiros antecessores e inventou de escrever poesia em guardanapos durante voos por aí afora.
 Meus amigos, minhas amigas, o que esse cidadão da terra do tieteense Cornélio Pires (1884 -1958) já cometeu contra o bom senso não está no gibi, é uma catástrofe, é um crime. Na verdade, ele foi  contra todas as regras do bom fazer poético. Só por isso, e não só pelos crimes de que vem sendo acusado por esse tal de Joesley, deveria ir para a cadeia, certo?
No programa de estreia do recém falecido jornalista matogrossense Jorge Moreno, na CBN, em março passado, o marido da esbelta Marcela deixou-se ouvir ao microfone com a "pérola" abaixo, que ele mesmo define como "coisa", confiram:

 https://oglobo.globo.com/brasil/temer-recita-poema-durante-entrevista-no-programa-moreno-no-radio-21043610#ixzz4kRoMIthk




" Não percebeu. Mas uma semente pousou em seu coração. Germinou. Cresceu em galhos, folhas e flores. Atravessou os caminhos do seu corpo.Boca, olhos, ouvido, tato, olfato. Todos os sentidos tomados pela mão pousada sobre a mão, pela proximidade da respiração, pelo leve roçar dos dedos, pelo olhar que penetrava, pelo perfume que dela vinha. A planta assim nascida tinha nome. Paixão. Que não pode se manter, porque o objeto desse amor não tinha a mesma sensação. Sem correspondência, a planta feneceu. Percorreu de volta todos os caminhos. Aninhou-se em seu coração. Voltou a ser simplesmente semente."

Claro que antes de Temer, do temerário Temer, outros presidentes se arvoraram a escrever coisas como Marimbondos de Fogo, do Zé Sarney. Aliás, onde anda o Sarney, na moita? Menos pretensioso foi o mineiro Juscelino, chamado pelo povo de pé de valsa e bom declamador e cantor. A cantora Enezita Barroso o adorava. Uma vez ele a convidou para cantar no palácio, mas essa é outra história. Eu tenho um disco aqui, LP, em que ele canta duas belas modinhas. Uma delas é, Elvira escuta. Confiram:





E chega, né? Mas a verdade é uma só, quase sempre compramos gato por lebre, ou, como diz o dito popular "de noite todos os gatos são pardos".


AMIGO BANDIDO andei acompanhando a repercussão da longa entrevista do Joesley à revista Época. São 12 páginas seguidas de tudo quanto é sujeira que o delator expele com a maior naturalidade do mundo. Segundo ele, Lula e o PT institucionalizaram a corrupção no Brasil e Temer, o mais perigoso chefe de gang já surgido nesse nosso Patropi. O próprio Temer, por sua vez, diz em nota oficial que o maior bandido do Brasil não é ele, mas Joesley. Durma-se com um barulho desse. Agora eu, cá comigo, fico incomodado pela questão: se Joesley é o grande bandido que afirma Temer, porque Temer o recebeu em palácio na calada da noite.


 

sábado, 17 de junho de 2017

E O BRASIL CONTINUA DOENTE!

Eu já disse e repito: o Brasil está doente. Doente em todos os sentidos. Doente pelo mal da corrupção e doente por todos os demais males.
São centenas e centenas as empresas que oferecem planos particulares de saúde, cobrando os olhos da cara e demais órgãos do corpo.
O Brasil está doente.
Milhões e milhões de brasileiros penam e morrem nas filas dos pronto socorros e hospitais, ao buscar um remédio qualquer para sobreviver ao dia seguinte.
Os planos particulares de saúde também não são uma joia da coroa e nem o sonho de um cidadão, digamos, de classe média.
As empresas de plano de saúde costumam não atender seu público e nem a satisfazê-lo, portanto.
O meu plano é sobreviver ao dia seguinte, mas não tenho plano particular de saúde.
Dia desse taquei a cabeça na parede do lugar onde moro e o resultado foi uma sangreira danada. Fiquei tonto mas resisti, impolutamente. Atordoado levaram-me ao PS que, em passo lento, fica a 5 minutos da minha casa. Uma hora depois eu estava de volta com pontos elevando-me a sombrancelha esquerda.
Dias depois voltei ao PS para a remoção dos pontos, mas me disseram que isso só poderia ser feito em dia útil. E hoje é sábado, foi hoje que fui lá.

sexta-feira, 16 de junho de 2017

EMBOLADA DE OPINIÃO

Manezinho Araújo era incrível (1910-1993). Era pernambucano da cidade do Cabo de Santo Agostinho, a cento e tantos km da cidade onde nasci, João Pessoa. 
Manezinho foi meu amigo, me fez bem, me ensinou coisas da vida nordestina, da vida brasileira, da vida.
A história do Mané é uma história muito bonita.
Manezinho praticou o exercício da cidadania o tempo todo.
Ele começou a gravar músicas em disco em novembro de 1933. 
O primeiro disco que gravou pela Odeon, trazia duas músicas de sua autoria, emboladas: Minha Prantaforma e Se Eu Fosse Interventô.
Manezinho Araújo era incrível.

...Palmatória quebra dedo
palmatória faz vergão
quebra osso, quebra perna
mas não quebra opinião...

Eu estudei em colégio de padres. Eu era para ser padre, pessoa de futuro, como queriam pessoas da minha família depois que os meus pais morreram. Lá no colégio, apanhei de palmatória, e ninguém chorou por mim, só eu. Para aprender a viver na vida, foi bom. Dei nisso: alguém que insiste em ter e manter opinião. Pois, pois.
Escute o Manezinho cantar: 
 


BRINCANDO COM A HISTÓRIA (28)

 

quinta-feira, 15 de junho de 2017

SEM BALÃO NO CÉU


O céu fica enfeitado
Nas noites de São João
E alegre o povo brinca
Na cidade e no sertão
Embalado pelo som
de Luiz, rei do Baião


É uma festa bonita
A festa de São João
Em que não pode faltar
Milho, fogueira e quentão
E a dança da quadrilha
Com muita animação...



O céu mais enfeitado por balões no mundo é o da Capadócia, na Turquia. No céu de lá tem mais balões do que carros na terra de cá, acho. Aqui é proibido soltar balões, pois os riscos de choques com aviões e incêndios nas matas tropicais são enormes.
É crime soltar balões no Brasil. Os cabras que soltam balões são criminosos, irresponsáveis, que não ligam prá vida de ninguém.




Os balões da Capadócia são balões construídos, especialmente, para transportar pessoas em passeios fretados.
O amigo Peter Alouche esteve por lá e gostou e trouxe atr´é fotos para provar seus passeios no céu da Capadócia.
Os balões de passeio, não se quando foram inventados.
Os balões que ferem os céus do Brasil, provocando medo, não sei quando foram inventados.
Aliam-se balões às festas juninas.
Não me lembro, porém, de balões soltos nos céus da Paraíba nos tempos de São João da minha infância. Lembro-me de balõezinhos com os quais nós todos brincávamos. Eles eram pendurados entre bandeirinhas coloridas nos arraiás daqueles tempos. Uma vez até contei isso ao mestre da embolada Manezinho Araújo e, uns meses depois, dele recebi de presente a obra que se vê aí em cima e que decora a parede da sala onde moro.
Desnecessário repetir que os balões, embora bonitos aos olhos de qualquer um são perigosos.
Eu e o amigo Théo Azevedo compusemos uma marchinha falando do perigo que é balão no céu, gravada pelo cantor Emídio Santana, clique:



BRINCANDO COM A HISTÓRIA (27) 

quarta-feira, 14 de junho de 2017

HISTÓRIA É TINHORÃO!

Assis Ângelo e José Ramos Tinhorão

Não precisamos de nada, precisamos nos abraçar.
Precisamos de dizer "oi". Precisamos de dizer "bom dia", "boa tarde", "boa noite"...
Precisamos de nós.
O dia é hoje e todos os dias.
Não faz nem dez minutos que o mais importante historiador do País esteve aqui comigo, no Instituto Memória Brasil.
Poucos conhecem o Tinhorão como Tinhorão, dizendo como foram suas últimas aventuras em Portugal.
Eu estou na beirada.
Alguém que passa a vida inteira tentando entender o Brasil, como Tinhorão tem feito, esse alguém tem que ser posto nos espaços mais completos da compreensão da vida e da cultura brasileiras.
Só por isso, merecia ele, um viva de todos nós...
E a vida continua...
Politicamente falando, com essa loucura toda em que o rei tem seus auxiliares denunciados por roubalheira.
Sete ou oito ministros do Michel Temer foram denunciados por roubalheira e, roubalhões continuam embalando o sonho do presidente de Tietê.
Deus do céu, onde estamos?
Como é o nome daquele cara que disse, um dia, ou nos locupletamos ou...
Meu Deus, estamos perdidos? 





terça-feira, 13 de junho de 2017

O BRASIL DE CABEÇA PRÁ BAIXO

No correr da ditadura militar, foi criado o MDB para fazer frente a Arena.
O MDB era, na sua origem, um partido que reunia políticos de oposição. À frente, o deputado Ulisses Guimarães (1916-1992).
O PDS era o partido da situação, da direita, que tinha Paulo Maluf como um dos seus filhotes mais representativos. 
O MDB foi o partido que levou Tancredo Neves à presidência. Tancredo morreu sem assumir a cadeira hoje ocupada por Michel Temer.
O partido de Ulisses findou para dar início ao PSDB, que também está prestes a findar.
O que ocorreu hoje foi, de certa forma, algo que surpreendeu a muita gente. 
Caracterizado pelo hábito da omissão, o PSDB resolveu continuar se locupletando no governo do vice que virou presidente, por uma dessas fatalidades da vida política nacional. O PSDB fechou negociação com o PMDB para continuar com quatro ministérios e a defesa do mimoso Aécio Neves, pego com a boca na botija.
A irmã do abominável homem Neves continua presa por decisão da 1ª Turma do STF, tomada no dia de hoje. No próximo dia 20 será a vez dos ministros dessa Turma mandar Neves à cadeia.
Com a decisão do PSDB de continuar de mãos dadas com Temer, quem chora é a Nação.
Ouço dizer que não há ninguém para ficar no lugar do atual presidente. É uma falácia, pois no Brasil ainda há muitos e muitos cidadãos capacitados ao cargo. O que é preciso é respeitar a Constituição e o povo.
A decisão do STE de não cassar a chapa Dilma-Temer fez as pessoas sensatas se irritarem. O trabalho do ministro relator Herman Benjamin foi exemplar, como exemplar foi a posição dos ministros Luiz Fachin e Rosa Weber. A propósito, clique:



SARAU DO VARAL


Rosângela Alves e Brau Mendonça
Domingo 11, pessoas inteligentes e sensíveis voltaram a se reunir para falar, cantar, tocar e bebericar, claro, na Casa da Cris, onde é realizado, com alegria e êxito, uma vez por mês, o Sarau do Varal.
Entre outros e outras lá estiveram Ana Maria, José Cortês, Paulo e Mari, Margareth, Anne, Regina, Tim e Rozane Linhares, Regina Andrada, Gariela Nunes, Arnaldo e Isabela, Rosângela Alves e Brau Mendonça. Aliás, amanhã 14, Rosângela e Brau -ela cantora e ele cantor e instrumentista- estarão se apresentando no 2 Santo Bar, localizado ali à Rua São Vicente, 157, às 21:30 hs. Eu vou, você vai? Quem não for certamente estará deixando de animar a própria alma com um banho de sensibilidade e música.

EM TEMPO DE CARTUNISTAS


Á esquerda Fausto exibindo um de seus trabalhos
Poucas vezes em São Paulo, ou em qualquer outro lugar, reúne-se de uma só vez tantos cartunistas e quadrinistas valorosos e famosos como Franco Rosa, Walmir Amaral, Wanderley Felipe, João Zero e Fausto. E na turma várias mulheres, que brilham nas páginas de jornais e revistas, e na internet também, como Adriana Yumi, Mari Santtos, Lily Carroll, Cora Ottoni e Anna Solano.
O Brasil é riquíssimo de bons traços, como os citados a cima.
Esses nomes todos ai estiveram recebendo seus admiradores numa belíssima tarde paulistana. Foi domingo 11 no Jazz Restô e Burgers, ali perto da estação Ana Rosa do Metrô.
Fausto e seus companheiros de graça de crítica estavam todos pimpões. "Foi um encontro maravilhoso, foi lá que conheci, pessoalmente, o grande cartunista Fausto " contou a historiadora Gabriela Nunes.
Com tanta gente bonita lá lembrei-me do querido Fortuna, um dos criadores do inesquecível semanário carioca Pasquim e com quem trabalhei no suplemento dominical folhetim, do paulistano Folha de S.Paulo.
É isso.
Ah! Não custa repetir: remédio para tristeza é cartoon, e pra sem vergonhice também.
O encontro: SketchCON I - Art Convention, Editora Criativo.

FESTA DE SÃO JOÃO NO CANAL FUTURA

A rigor e historicamente, o ciclo junino inicia-se hoje, 13 de junho - dia de Santo Antônio - e se estende até o próximo 29, dia de São Pedro. As festas juninas são muito bonitas e nelas se acham a principal atração, as quadrilhas que herdamos da França. Hoje, aliás, estarei dizendo algumas coisinhas juninas no Canal Futura, ás 19 horas. Viva São João!
Ah! O maior São João do mundo que há muito era realizado em Campina Grande PB, já não existe mais, foi tudo globalizado! Bom, para lembrar dessas festas, segue esses versinhos que faço pra você:

O céu fica enfeitado
Nas noites de São João
E alegre o povo brinca 
Na cidade e no sertão
Embalado pelo som 
De Luiz, Rei do baião!


BRINCANDO COM A HISTÓRIA (26)

Dom Quixote
Aproveitando o tema abosdado por Fausto na tirinha a cima abaixo segue uma música que fiz junto com Klévisson Viana e Gereba. Clic:


sábado, 10 de junho de 2017

POLICARPOS, BRUZUNDANGAS E FORRÓ

Eu sou Policarpo, tu és Policarpo, nós somos Policarpos....
O paraibano Herman Benjamin é Policarpo, o carioca Luiz Fuchs é Policarpo, a gaúcha Rosa Weber é Policarpo.
Pois é, eu, tu, eles.
Depois de quatro dias e 25 horas de blá-blá-blá e cartas marcadas no STE, cheguei à conclusão de que nós, brasileiros mortais, somos, no mínimo, o reflexo do brasileiríssimo personagem Policarpo Quaresma, do mulato carioca, do mulato carioca Lima Barreto (1881-1922).
Pois é: Não pude deixar de lembrar de Triste Fim de Policarpo Quaresma, uma obra prima, desenvolvida em três partes, publicada originalmente no formato Folhetim no vespertino carioca Jornal do Comércio, em 1911, e depois, em 1915, em livro. Detalhe: a primeira edição dessa obra foi custeada pelo próprio autor, que somente depois que morreu, aos 41 anos de idade foi reconhecido como grande autor da literatura nacional.
Sim, é sempre assim, os bons, os grandes, são reconhecidos pós morte.
O personagem Policarpo é um brasileiro simples, humilde, que sobrevive com o parco salário de funcionário público. Tem a ver com o seu criador, que morreu vítima de um colapso. É um livro atualíssimo.
Depois do lamentável e previsto desfecho do julgamento da chapa Dilma-Temer, também não pude deixar de lembrar de um certo país habitado por bruzundangas. esse país, criado pelo mesmo grande Lima Barreto, tem tudo a ver com o Brasil. É triste dizer isso, mas é verdade.
O país imaginado por Barreto tem de tudo que não presta, como os políticos e sangue sugas, em geral,  que fazem e desfazem em nome de quem os elegeu; e eleitos como o são, com roubos e propinas diversas, até os dias de hoje, estão aí.
Benjamin, Fuchs e Weber explicitaram o pensamento do povo brasileiro. Disso não tenho dúvida.
O paraibano Herman Benjamin, já certo do fim da farsa do julgamento da chapa Dilma-Temer, lançou à história diversas frases, entre elas esta: "Não sou coveiro de prova viva. Posso ir ao velório, mas não carrego o caixão". Arrepiei-me.
O carioca Luiz Fuchs disse, por sua vez, que não se sentiria com a consciência tranquila se votasse a favor da manutenção da chapa. Nessa mesma linha seguiu a gaúcha Rosa Weber. Ela endossou o relatório do juiz/ministro Benjamin...
A imagem que fiz e faço do STE é a mesma que se acha no traço do genial cartunista Fausto, acima.
Até aonde vão as tantas crises fabricadas pela bandidagem de terno e gravata e que habita sedes de grandes empresas, Cãmaras, Senado e Palácios?

VIVA O FORRÓ

A cultura popular do Brasil anda em baixa, em baixíssima. Estão acabando, os idiotas sangue sugas, com o forró estilizado por Luiz Gonzaga, Além do forró estão acabando com o xote e as marchinhas juninas, também estilizadas pelo Rei do Baião. O maior forró do mundo, de Campina Grande, PB, já não existe. As festas juninas das capitais brasileiras, principalmente , foram contaminadas pelo mau gosto do breganejo e sertanojo, que são a mesma coisa. Ontem, o canal Futura, em parceria com a Tevê Globo e a Tevê Caatinga, iniciou uma série em quatro capítulos sobre o nosso forró. Vale a pena ficar ligado.





BRINCANDO COM A HISTÓRIA (25)



quinta-feira, 8 de junho de 2017

REMÉDIO PRÁ TRISTEZA É CARTOON

Certa vez o escritor paraibano Ariano Suassuna, perguntou ao compositor pernambucano Capiba se sabia a razão de os cachorros gostarem tanto de osso. Capiba não se fez de rogado e, na lata, respondeu: 
-Porque só lhe dão osso. Se lhes dessem pelo menos um bifinho, eles iriam também gostar de bifinho e não só de osso.
O bicho é o que come. E que nem peixe, morre pela boca.
E o mundo, Hein?
O planeta todo está feio. Feíssimo. O único lugar do mundo ainda bonito, sem feiúra, ainda não foi criado.
São quase 200 o número de países criados e catalogados pela Organização das Nações Unidas, ONU.
Os países nórdicos são os mais bonitinhos e com população que diz conhecer a felicidade.
A Coréia do Norte e os EUA estão se estranhando há tempo. E esse estranhamento está em fase crescente, com cheiro de catástrofe. E eles têm bombinhas atômicas...Os países latinos estão com cheiro de mofo. Pois é: mofo deu nesses países.
E Brasil, hein?
Por cá há uma tristeza dos infernos, pois é roubo por todo lado. Onde meter enxada, sai minhoca. E minhoca de todo tamanho, prá todo gosto, não é mesmo?
Lembrei daquela piadinha segundo a qual o Criador ao inventar o mundo pôs catástrofe em todo lugar: terremoto, maremoto, tsunami...Um santo daqueles bem caprichosos estranhou a criação divina e perguntou, data vênia:
- E no Brasil, Mestre? Só vai ter beleza?
E o Mestre, com ar maroto, respondeu na maior tranquilidade dos mundos.
- Espere prá ver o povinho que eu vou botar lá.
Pois bem, prá tristeza e mau humor há os cartoons de Fausto Bergocce e dos seus colegas Bira Dantas, Anna Solano, Spacca, César Cavalegna, Franco de Rosa e muitos outros.
...........
Domingo 11, entre 13 e 18 hs, Fausto e um punhado de outros grandes cartunistas estarão autografando os Post Art's, SketchBook’s  e posteres lançados pela Editora Criativo, no Jazz Restô e Burgers, Largo Dona Ana Rosa 33, ao lado da estação Ana Rosa do metrô. Quem for, e eu irei, vai ganhar o direito de apertar a mão e abraçar Fausto e seus colegas geniais. E na aquisição de um exemplar, o fortuito cidadão será agraciado com um original dos autores.
Fausto é um paulista de Reginópolis há muito adotado pelos paulistanos. Por muitos anos ele ilustrou textos meus para a Folha, Pasquim e revistas da Editora Três. E já há algum tempo passou a ilustrar as postagens deste blogueiro. São ilustrações inéditas, como a série Brincando com a História. 


BRINCANDO COM A HISTÓRIA (24):


quarta-feira, 7 de junho de 2017

É OSSO!


Lembro, não faz tempo, meu conterrâneo Lula dizer que nada sabia de nada, enquanto Dirceu
e asseclas bagunçavam o coreto subtraindo valores em grana altíssimos do herário público.
Herário é o tesouro do governo, criado e abastecido pelos impostos cobrados do povo - nós.
Essa coisa de dizer que nada sei, faz-me lembrar Sócrates. 
Sócrates, a quem me refiro aqui, é o fantástico filósofo que apelou no Tribunal para escolher o modo de morte.
Sócrates foi condenado por um tribunal do seu tempo à morte. 
O crime de Sócrates foi contestar o establishment, da sua época. Quer dizer: anos e anos antes de Cristo.
É claro que, no Brasil atual, não há nenhum risco de a democracia cair diante de baionetas. Andei ouvindo, e continuarei ouvindo, as falas dos deputados e juízes pela democracia autorizados a, em tese e necessariamente, nos defender.
Num texto anterior, eu disse que estava se desenhando no STE um momento de farsa para a absolvição do vice presidente, que virou presidente da república, que continua tentando se manter no posto de presidente, que assumiu há um ano e pouco.
Anotem aí: o Temer vai sair dessa, nesse primeiro momento.
As provas de putaria contra Michel Temer são irrefutáveis, são óbvias.
Temer tem que voltar prá o lugar onde nasceu, Tietê. Eu, pessoalmente, adoro Tietê. 


VIVA A VIDA!

Eu tenho amigos maravilhosos como o são todos os amigos, não tanto como Roberto Carlos. Aliás, RC é uma besta!
Mas deixemos isso prá lá. Eu tenho poucos amigos, mas esse amigos são incríveis: Audálio, Joel, Tinhorão, Dorneles, Cortez, Peter, Rômulo,Théo Azevedo, Sebastião Marinho e violas e violeiros de todos os tons e fantasias em cordel. Fausto, o incrível Fausto, nasceu com a semente da vida. Nathália é sua essência. Nate, como as pessoas inyteligentes, sensíveis, jornalistas a chamam. Nate completa hoje 24 anos de idade. Ela tem voz linda e escreve tão bem quanto o pai. Detalhe o pai é um gênio do traço da caricatura, da ilustração, do cartoon. Nate, querida, que tua vida seja tão grande quanto a do teu pai e da tua mãe, arriba!


BRINCANDO COM A HISTÓRIA (23)

terça-feira, 6 de junho de 2017

A COISA É SÉRIA: DIRETAS OU CONSTITUIÇÃO?









Dia desses andei falando sobre Congresso e Cangaceiros.
Que diferença pode haver entre o histórico bando de Lampião e nossos ilustres representantes na Câmara e no Senado?
Sei não, mas acho que Cabeleira, Antônio Silvino, Sinhô Pereira, Lampião e o Diabo Loiro foram moços um tanto ingênuos e não tão violentos quanto o são os nossos congressistas. Quem matou mais Lampião e seu bando ou os bandos do Congresso liderado pelo Planalto?
Estão entendendo?
Pensem comigo: Só de uma empresa, a dos irmãos Batista, o PT levou 616 milhões, o PMDB 553 milhões. O PSDB, apenas 90 milhões...Se esses partidos e os outros partidos também, é claro, embolsaram tanta grana, por que ainda estão aí e o povo se lascando? Alguma coisa está errada, muito errada, e há muito se faz necessária uma limpeza geral.
Será que Moro e o pessoal da Lava Jato vão conseguir lavar a sujeira que envergonha o país e o povo de bem?
Temer está riquíssimo, e o Aécio, hein?
Serra anda em silêncio, por onde?
Renan, um dos cancros do País, está bufando raivosamente e já com medo de ir prás grades, merecidamente. E o seu filho, o Renanzinho governador das Alagoas, o que deverá fazer para ajudar o seu papai?
Sérgio Cabral está em cana em Bangú e de lá, se depender do povo, jamais sairá. 
E Marcelo Odebrecht e seu pai, hein?
E Jucá, e Lobão, e Eunício? E o cara de idiota presidente da Câmara, hein?
Na verdade meus amigos, minhas amigas, nesse jogo de cangaceiros engravatados não há idiotas.
Chega a ser engraçada a tragédia criada e encenada por nosso políticos e seus advogados pagos a peso de ouro. Hoje começa a desenhar-se mais uma grande farsa no STJ.
A chapa Dilma-Temer será ou não cassada?
A Constituição continuará, certamente, a ser violada. Já passa de 100 o número de estocadas na nossa Constituição.
Grupos de analfabetos ou interesseiros começam a agitar bandeiras de cores diversas clamando por eleições diretas. Ai, ai, ai.
No dia que o Brasil for habitado por cidadão, cidadãos de verdade, cidadãos que conheçam seus direitos e respeitem os direitos anotados na Constituição por um Congresso livre, teremos Ordem e Progresso. Aliás, esse é o lema que se acha estampado na Bandeira do Brasil, não é mesmo.
A tevê Globo continua emplacando suas novelas.
A vida real brasileira não é a vida que se acha na televisão.
A coisa é séria, meus amigos e minha amigas.
E o Temer largará ou não o osso que pegou por um desses acasos da vida?



 BRINCANDO COM A HISTÓRIA (22):




segunda-feira, 5 de junho de 2017

MEIO-AMBIENTE E CIDADANIA

O mundo está se acabando. Melhor, não. Pior: estamos acabando o mundo. E pelo andar da carruagem, o mundo já era para estar acabado a tempo.
Hoje as pessoas lúcidas abraçaram-se, talvez, em nome de um futuro melhor. Um futuro sem poluição, cof.
O dia mundial do Meio Ambiente, foi instituído pela organização das Nações Unidas, ONU. A ideia sempre teve por principio a restauração do meio em que vivemos, por nós judiado, sem dó nem piedade.
No total somos um grupo de 7 bilhões de almas penadas...
Na semana que passou, o dono do mundo Donald Trump berrou aos quatro ventos que estava rompendo com o acordo de Paris. Quer dizer, o bicho anunciou que é mais do que alto suficiente para não precisar de ninguém. Por isso, deixou claro: não quer papo com governo ambientalista. 
O acordo de Paris recebeu a assinatura de 195 governos.
Hoje 5, é o dia mundial do Meio Ambiente.
Metido em quinhentas encrencas, o Temer fez uma onda danada em nome da natureza.
Sei não, mas cá com meus botões fico imaginando que estamos involuindo numa velocidade dos diabos.
Precisamos nos cuidar com mais carinho.
O mundo ainda pode ser salvo, apesar do dono do mundo.


CIDADANIA

O professor de música Roberto Ferreira deu um belíssimo exemplo de cidadania ao País. Semana passada ele pegou o violão e começou a tocar e a ensinar, seus alunos, crianças a cantar num corredor da escola onde ensina subúrbio fluminense para disfarçar, encobrir, os estampidos de armas de fogo que se sucediam num cerrado tiroteio entre policiais e bandidos.
Veja o vídeo: 



BRINCANDO COM A HISTÓRIA (21)





domingo, 4 de junho de 2017

CANGAÇO E CONGRESSO DE CANGACEIROS


O coronelismo é uma praga brasileira surgida com a criação da guarda nacional pela Regência em 1831, e ganhou força e aperfeiçoamento após o golpe militar que acabou com o Império.
A primeira república foi até 1930.
O coronelismo viveu de mãos dadas com o Cangaço.
Antes de Lampião, o Rei do Cangaço era Antonio Silvino (1875-1944).
Silvino, de batismo Manuel, era pernambucano e entrou para o Cangaço em 1896, dois anos antes de seu conterrâneo Virgolino Ferreira da Silva, o Lampião nascer (1898-1938).
Lampião nasceu no dia 04 de junho e entrou para o Cangaço depois de a polícia matar seu pai, José Ferreira. 
O pai de Antonio Silvino foi assassinado a mando de um coronel de Afogados de Ingazeiras, PE.
Três irmãos de Virgolino, Antônio, Izaquiel e Levino, entraram para o Cangaço com o mesmo propósito de vingar a morte do pai.
Silvino não foi só para o Cangaço, junto com ele foi também o irmão Zeferino.
Essa história de coronelismo, Cangaço e políticos se interliga.
Os cangaceiros dos tempos atuais estão, muitos deles, no Congresso Nacional e nos governos estaduais.
Renan é cangaceiro, Jucá é cangaceiro, Eduardo Cunha é cangaceiro, Aécio Neves é cangaceiro, Collor é cangaceiro, Sarney é cangaceiro, Eunício Oliveira é cangaceiro, Lobão é cangaceiro, Perrella é cangaceiro, Jader Barbalho é cangaceiro, Lula é cangaceiro, Temer é cangaceiro...
Uma perguntinha: Os cangaceiros de ontem eram mais fracos do que os cangaceiros de hoje?
Na minha vida profissional de jornalista entrevistei muitos cangaceiros e cangaceiras como Sila, que entrou para o grupo de Lampião ao lado do menino cangaceiro Zé Sereno.
Entrevistei também uma irmã de Lampião, Dona Mocinha e a filha e neta de Lampião e Maria Bonita,  Expedita e Vera Ferreira, ainda vivas.
Há quinze anos eu promovi um julgamento simbólico de Virgolino Ferreira na Faculdade de Direito do Largo São Francisco. Leia texto que publiquei no Jornal a Nova Democracia nº 13:

Sessenta e cinco anos depois da sua morte, Virgolino Ferreira da Silva, o Lampião, foi condenado em júri popular simulado no Centro Acadêmico XI de Agosto da Faculdade de Direito São Francisco, no Largo São Francisco, em São Paulo, a 12 anos de prisão em regime fechado. A condenação foi abrandada em um terço por ser o réu primário e beneficiário de atenuantes, segundo o juiz que presidiu o processo, Antônio Magalhães Gomes Filho, titular de Processo Civil. 
O rei do cangaço foi levado a júri sob a acusação de ter praticado, junto com o seu bando, uma chacina em Jeremoabo, na Bahia, no dia 13 maio de 1932. Nessa data tombaram mortas a tiros e a golpes de punhal, várias pessoas de uma mesma família. A sentença, baseada na votação do corpo de jurados formado por estudantes de Direito, levou em conta que o réu praticou a ação “com requintes de crueldade”. Cerca de 300 pessoas, incluindo jornalistas, escritores e artistas, assistiram a sessão. A cantora Socorro Lira cantou uma canção de sua autoria que falava de Lampião.
Na sala do júri, representou o acusado o ator Alessandro Azevedo, vestido a caráter. A seu lado a atriz Júlia Moura, no papel de Maria Bonita. Há dois anos, Alessandro viveu o rei do cangaço na peça Lampião vai ao inferno buscar Maria Bonita, de Altimar Pimentel.
Os trabalhos foram desenvolvidos pelo promotor Luis Marcelo Mileo Theodoro e pelo advogado de defesa Alamiro Velludo Salvador Netto. Antes de encerrar a sessão e elogiar os organizadores do evento, o juiz Gomes Filho disse que “esse processo pode ajudar a sociedade a refletir sobre as causas da violência no Brasil”.
O principal estudioso do cangaço e biógrafo de Lampião, Amaury Corrêa, que está lançando o livro Lampião e Maria Fumaça, não aprovou a condenação que, aliás, também contrariou consulta popular feita em julho com usuários da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), idealizadora do julgamento. Consultados sobre se Lampião foi bandido ou herói, os passageiros escolheram a primeira opção.




BRINCANDO COM A HISTÓRIA (20):




POSTAGENS MAIS VISTAS