Seguir o blog

sábado, 22 de abril de 2017

HISTÓRIA PRÁ BOI DORMIR


Eu e muita gente crescemos ouvindo na escola que foi o português Cabral o descobridor do Brasil.
Eu e muita gente crescemos ouvindo na escola que o Brasil foi descoberto no dia 22 de abril de 1500.
Eu e muita gente crescemos ouvindo na escola um monte de besteiras.
Pois é, a história oficial é uma e a história real é outra.
Primeiro: o primeiro navegador a por os pés em nossas terras foi um espanhol de nome Duarte Pacheco Pereira, que era assim assim com o rei de Portugal Dom João III.
Segundo: Pacheco aportou na fronteira do Pará e Maranhão, em Novembro de 1498.
É tudo complicado e é muito difícil desfazer a história oficial, mas insistir faz bem, não é mesmo?
Foi um Jerônimo de Mendonça Furtado a primeira autoridade a praticar o ato hoje mais comum do mundo: corrupção.
Foi em 1600 e tarará que Jerônimo se locupletou, ao ter as mãos molhadas pelos franceses que invadiram Pernambuco. Logo depois disso Furtado -que deve ter se perdido pelo sobrenome- foi preso e mandado de volta a Portugal, onde planejou um golpe contra Dom Afonso e lascou-se num exílio na Índia,
Aliás, essa história de franceses em Pernambuco fez-me lembrar a forte presença holandesa naquelas terras.
Foi em 1630, depois de serem postos para correr da Bahia que os holandeses guerrearam com portugueses e brasileiros e tomaram Recife, depois de incendiarem Olinda.
A vitória holandesa deveu-se muito à deduragem do alagoano Domingos Fernandes Calabar.
Calabar era fazendeiro e dono de engenho e integrou a primeira leva de brasileiros a lutar contra os holandeses. Só que teve uma hora que Calabar mudou de casaca. Fez isso, segundo a história porque não aguentava mais a violência sofrida pelos portugueses. E como dedo duro, entrou para a história.
Perguntar não ofende: Quem foi mais sacana na história da deduragem, Joaquim Silvério dos Reis ou Domingos Fernandes Calabar.
Pelo que consta, Calabar não ganhou grana nenhuma ao fazer o jogo dos holandeses, ao contrário de Silvério dos Reis.
Aos olhos do mundo, o Brasil ainda é um país muito novo. Novo e com uma gentinha safada lhe habitando, não é mesmo?
Você sabe quanto custou a construção de Brasília? Pois é, algo em torno de 1 bilhão de dólares. Isso é pouco ou isso é muito? Só de multas, a Odebrecht deverá ressarcir os cofres públicos do Brasil, Suíca e EUA com a bagatela de 2,8 bilhões de dólares, é mole?
Eu disse que o primeiro navegador a por os pés no Brasil foi o espanhol Duarte Pacheco, por que isso? Pacheco era moço de altíssima confiança do rei Dom João III, e não podemos esquecer que durante 60 anos a Espanha tomou conta de Portugal, e também dos holandeses, por outro bom tempo.
Essa história de descobrimento do Brasil a 22 de Abril de 1500 é pura bobagem, é coisa torta, prá pegar trouxa e enganar mentes desavisadas, não é mesmo Fausto?
.
DIA DE SÃO JORGE

Hoje é o dia do santo guerreiro que cuida da lua. Eu fiz um poema em que faço referência ao Santo Jorge, é este:



EU E O MUNDO


Do circo sou palhaço
Do teatro sou ator
Do cinema sou astro
Da viola cantador
Do espaço pássaro
Da família beija flor

Sou forte e faço tudo
Já parei as ondas do mar
Mudei a rota dos ventos
O sol quente fiz esfriar
E Netuno eu convenci
A dançar tango num bar

Mandei o homem à Lua
E depois o fiz voltar
Com mil estrelas no bolso
E histórias prá contar
Como a queda de São Jorge
Do seu cavalo lunar

Na Grécia de Platão
Ensinei filosofia
E mostrei como se faz
Uma boa cantoria
Com o nego Zé Limeira
Cantando Filalomia

Fui à Marte e fui à Vênus
E também fui a Plutão
Viajei os sete mares
Montado num tubarão
Depois voltei à terra
E a razão não conto, não

No mato peguei onça
Prá no seu peito mamar
Dei nó em cobra coral
Prá ela não me picar
E fiz chover chuva de luz
Para o meu bem se banhar

Evitei mais de mil guerras
No Céu, na Terra e no Mar
Desarmei milhões de bombas
De origem nuclear
Depois voltei prá casa
Prá beber água e descansar

Mas descansar não descansei
Mandei Hitler se matar
Lampião ir pro Inferno
Donald Trump se lascar
E não fiz mais porque não quis
O mundo todo se acabar

Mas isso não é nada
Tudo isso é nadinha
Comparado a desastre
De um trem fora da linha
E se esse trem for pátria?
- Essa pátria é a minha

E por ela eu faço tudo
Por ela eu fico louco
Por ela eu vou à guerra
Dou tiro, dou pipoco
E por mais que eu fizer
Certamente será pouco

Minha pátria é incrível
Ela é a mãe gentil
Ela acolhe todo mundo
No seu colo juvenil
Cê não sabe o nome dela?
O nome dela é Brasil!





Nenhum comentário:

POSTAGENS MAIS VISTAS