Seguir o blog

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

DE MARIANA A CARLOS GOMES

Vocês viram o que ouvi
Tiros na esperança
Mar de Lama em Mariana
E Mar de Sangue na França?

Vocês viram o que eu vi
Os mortos de Mariana
Pedindo Justiça e Paz
E uma vida mais humana?



A Europa e Estados Unidos da América do Norte estão se juntando para dar um basta na organização terrorista denominada Estado Islâmico, que de Estado não tem nada e nada tem com o Islã e Islamismo.

Em nome de Deus e em línguas diversas tem se cometido os mais pavorosos crimes.

O Papa Francisco acaba de lembrar disso na África, onde esteve pregando a paz em nome de Deus.

Deus existe, lembra o empresário Elie Horn em belíssima entrevista na mais recente edição da Revista Época Negócios. Do ramo da construção civil, o empresário está doando cerca de 60% da sua fortuna estimada em bilhões.
Leia:


E pensar que os empresários que controlam Samarco estão fazendo desaparecer todo o dinheiro da empresa, que só no ano passado teve um lucro avaliado em 2,4 bilhoes de reais.

Vocês viram o que eu vi
Os mortos de Mariana
Pedindo Justiça e Paz
E uma vida mais humana?


Neste mês de Dezembro há no calendário 03 grandes datas de nascimento: Luiz Gonzaga (dia 13), Rosil Cavalcanti (dia 20) e Jesus Cristo (dia 25). São datas para ser lembradas e comemoradas em todo o país e mundo afora.

Sobre o rei do baião, tenho interrompido um livro que ainda espero poder concluir: Luiz Gonzaga, o divisor de águas da música popular brasileira.

Sobre Rosil, há um belíssimo livro correndo solto na praça: Para Dançar e Xaxar na Paraíba de Rômulo Nóbrega e José Batista Alves. Há poucos dias, o diário Correio Braziliense publicou texto a respeito da obra. Leia:


Quarta passada fui levado por uma amiga a assistir a ópera de viés popular O Homem dos Crocodilos, de Arrigo Barnabé e libreto do argentino Alberto Muñoz. É um texto longo que chega a cansar. Natural, faz parte das coisas do Arrigo. Tudo bem que somos um País sem tradição operística e por ser o que somos, contraditoriamente, é do Brasil o autor considerado o maior compositor operístico das Américas. Antonio Carlos Gomes, sobre quem, aliás publiquei o livro pela editora Companhia Nacional (1987), O Brasileiro Carlos Gomes. No próximo ano, poderemos comemorar os 80 anos de nascimento do grande artista que foi o primeiro a levar o nome do nosso país ao mundo. Ele estreou a sua primeira ópera, O Guarani, em Milão. Caruso, foi o primeiro tenor a gravar a ária da famosa ópera.

E por falar em Carlos Gomes, lembro do maestro Eleazar de Carvalho. Eleazar era doido por Gomes de quem chegou a gravar um disco inteiro com obras do autor campineiro. 


Nenhum comentário:

POSTAGENS MAIS VISTAS