Seguir o blog

sábado, 24 de setembro de 2016

BRASIL DE DESEMPREGO E ANALFABETISMO



Neste mês de setembro em que se “comemora” o Dia Nacional da Alfabetização, 8, o Governo anuncia mudanças necessárias no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Foi um anúncio atabalhoado. No primeiro instante, quiseram tirar as disciplinas de Educação Física e Artes. Que coisa!
Educação Física e Artes são as portas naturais que se abrem para os esportes, música, teatro etc.
Mudanças no nosso sistema de ensino há muito se fazem necessárias. As discussões em torno do assunto são antigas e do jeito que está, claro, não pode continuar. Se eu sou a favor do ensino em tempo integral na rede escolar? Claro que sou. Por quê? Porque é preciso que se ensine e se estude com afinco. O estudo continuado só pode trazer benefícios a quem aprende. Agora, uma coisa: é preciso treinar, reciclar, o professor.
Eu comecei falando do Dia Nacional da Alfabetização. A verdade seja dita: não há o que comemorar nesse dia 8 de setembro.
Comemorar alfabetização quando 13 ou 14 milhões de brasileiros não sabem distinguir um o de uma roda? Não dá, né? Fora isso, ainda tem os analfabetos funcionais, que somam 32 milhões de brasileiros.
Somos, no ranking mundial de ensino, o país que ocupa o 8º lugar em analfabetismo. Triste, não é?
Para mostrar o caos em que vivemos, não custa lembrar que já somos cerca de 12 milhões de profissionais desempregados, sem falar nos eternos “nem, nem”, que se reunidos ocupariam todas as áreas de Pernambuco. É mole?
A nossa tristeza cresce quando espichamos os olhos para o Planalto e vemos as trapalhadas de boa parte dos ministros que formam o atual governo. O ministro do trabalho, por exemplo, tem dito um monte de bobagens com relação às reformas trabalhistas. O presidente da Câmara tentou dar golpe esta semana, ao surpreender o Brasil com proposta de mudança numa lei que, se aprovada, beneficiaria os espertalhões que utilizam caixa dois em suas manobras. E por aí vai.
O ministro da Educação quis tirar disciplinas necessárias na formação de brasileiros. Não dá, né?
No dia 2 próximo haverá eleições para a escolha de prefeitos e vereadores. Outro dia comentei aqui que não ouvira nenhum candidato falar de cultura. O Dória falou hoje, prometendo virada cultural nos bairros de São Paulo.
Eu queria saber, de verdade, o que pensa um candidato quando diz que vai fazer virada cultural nos bairros da cidade. Será que isso basta? Cultura é isso? Tira do bolso e...
Aliás, por onde anda o ministro da Cultura? Ainda existe Ministério da Cultura?
Pra findar, uma coisa que não entendo: por que temos o Ministério da Educação e da Cultura e o Ministério da Cultura?

TIM, TIM
Rômulo e eu, em foto feita há 16 anos
O paraibano de Campina Grande, Rômulo Nóbrega, biógrafo do compositor Rosil Cavalcanti, está completando hoje 61 primaveras. Rômulo, economista, escreveu uma das mais completas biografias que já li sobre um autor pernambucano: Pra dançar e xaxar na Paraíba, andanças de Rosil Cavalcanti. Longa vida, Rômulo.

Nenhum comentário:

POSTAGENS MAIS VISTAS