Seguir o blog

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

TURISMO E CEMITERIOS

Hoje é Dia de Todos os Santos, não foi ontem.
É pequeno o calendário cristão para acolher todos os santos.
Na Igreja Católica, há santo a dá com pau. Uí! Dar com pau, sabemos todos, é a penas força de expressão.
O Dia de Todos os Santos é uma criação do abade Odilon, que viveu ali pelo século II. Acho que na França.
Justificativa óbvia. homenagear todos os santos famosos e anônimos , pretos e brancos e mártires que dedicaram a vida aos humildes, etc. Seis séculos depois, o Papa Gregório III carimbou o dia escolhido por Odilon.
O dia 1º de Novembro, Dia de Todos os Santos, como o Dia de Finados é comemorado em quase todo o mundo.
O Dia de Finados, também criado pela Igreja Católica tem por finalidade levar os vivos a lembrar seus mortos.
Séculos antes de Cristo, os mortos sequer eram sepultados. Esse habito ganhou forma por uma razão simples: Os cadáveres transformavam-se em ameaça à saúde publica. Foi então que a Igreja passou a enterrar os mortos no subsolo dos templos. Mas lá eram enterrados apenas quem em vida tinha recursos. Os corpos de escravos e miseráveis continuaram sendo jogados ao léu. Alguns eram queimados em fogueiras.
O medo da morte todo mundo, ou quase todo mundo, sempre teve.
Você sabe a origem do velório?
Catalepsia é um mal que ainda hoje atinge a muita gente.
Estanho é um tipo de metal que mal usado, provoca nas pessoas o mesmo o mesmo que a catalepsia, ou seja: a pessoa cai em convulsões e de repente parece morta.
O estanho era usado na fabricação de objetos domésticos, como pratos e copos. E ai...Temerosos de seus entes queridos serem sepultados vivos, providenciavam-se a colocação dos corpos sub mesas ou o que valha e esperavam-se que o "morto" voltasse à vida. O velório vem dai.
Hoje é o Dia de Finados.
Em boa parte do mundo, cobram-se ingressos a pessoas que visitam cemitérios. Na França, por exemplo. Em Roma há túmulos muito bem construidos por engenheiros famosos.
No município de São Paulo há 22 cemitérios. O da Consolação guarda os restos mortais de grandes personagens da vida brasileira, como Monteiro Lobato. A propósito, por que não se planeja visitas monitoradas ao Cemitério da |Consolação e a outros cemitérios da capital dos paulistanos?
Em Londres o túmulo em que se acham os restos mortais de Karl Max, o grande ideólogo do Capitalismo, é o tempo todo visitado por todos que têm interesse por seu nome ou obra. O governo de lá ganha um dinheirão com isso. Ah! é rica e curiosíssima a relação da morte com a cultura popular.
No começo do século passo, bem no começo o paraibano Leandro Gomes de Barros, nos legou um clássico da literatura de cordel:  A História do Cachorro dos Mortos.


TERREMOTO
Nas últimas eleições o PT perdeu centenas de prefeituras Brasil a fora. A respeito, ouvi no rádio um político concluir comentários dizendo o seguinte: enterrem-se os mortos pois a vida segue. Isso fez-me lembrar o que disse o general Pedro D'Almeida ao rei dom José I ao lhe pedir opinião sobre o que deveria fazer depois do terremoto seguido de tsuname  que devastou Lisboa e o sul de Portugal no ano de 1755. Disse o general textualmente: "Enterre os mortos, cuide dos vivos e feche os portos". E assim foi feito. Anos depois,  sob a batuta do marquês de Bombal, Lisboa voltou a ser uma cidade belíssima .

 

Nenhum comentário:

POSTAGENS MAIS VISTAS