Seguir o blog

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

TINHORÃO E MACHADO DE ASSIS, ALGO A VER?


Até o século 19, o Brasil era Francês.
Coisa de doido, não é? Em todas as solenidades oficiais, tocava-se a Marselhèse.
Em 88 a princesa Isabel canetou a liberdade. Liberdade?
Imaginemos um escravo livre, sem saber o que fazer num lugar que não é dele e sem saber prá onde vai.
Mas não é disso que eu quero falar.
Até 1982 houve, no Brasil, um brasileiro que passou a vida tentando entender e explicar a desigualdade entre pretos e brancos, ricos e pobres.
Esse brasileiro ganhou na pia batismal o nome, puro e simples, de José Ramos.
José Ramos, Tinhorão depois, marcou na vida brasileira. Foi esse cara, craque na escrita e no saber, que inventou, no jornalismo, "a foto legenda".
Vocês sabem o que é foto legenda?
José Ramos Tinhorão é o cara mais importante que há no tocante ao estudo da história da cultura musical no Brasil.
Tinhorão é caso único na história do Brasil, no tocante à história do Brasil.
Ele nasceu no dia 07 de fevereiro de 1928.
Todas as turbulências acontecidas no Brasil, Tinhorão vivenciou, desde então.
Tinhorão é de esquerda?
Tinhorão é de direita?
Essa história de direita e de esquerda vem da França de antigamente, só não sabe disso que não quer saber.
Machado de Assis era republicano, socialista, centrista, comunista?
O nosso principal escritor politicamente pendia para o lado que até hoje chamamos de liberal. E ele viveu com Viscondes, Barões. Foi do tempo do Imperador Dom Pedro II.
O carioca Machado de Assis foi de uma grandeza ímpar na história o Brasil, como Tinhorão.
Voltarei ao assunto.


Ah! Tinhorão é personagem explícito do tarado pernambucano Nelson Rodrigues, de que era amigo pessoal, e com quem trabalho no Diário Carioca. O personagem Tinhorão tá lá no romance que virou filme Bonitinha Mas Ordinária. O filme está em algum lugar, procurem-no.





Nenhum comentário:

POSTAGENS MAIS VISTAS