Seguir o blog

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

TRAGÉDIAS INSPIRAM ARTISTAS

Há 12 anos, num dia e mês como os de hoje, homens treinados de Bin Laden sequestraram e atiraram dois aviões de carreira com passageiros sobre as torres gêmeas do Trade Center da ilha de Manhattan, nos arredores de Nova Iorque, e mataram milhares de pessoas, incluindo mulheres e crianças.
A tragédia chocou o mundo.
Inúmeras músicas foram compostas, inúmeros livros foram escritos e outras formas de manifestação cultural, incluindo filmes e gibis, foram lançados por aí a fora.
No Brasil, poetas populares expressaram sua revolta e descontentamento em folhetos de cordel, como Klévisson Viana (acima), Mestre Azulão, José Honório entre outros.
O ataque ao Trade Center só aumentou a gula pelo poder dos norte-americanos.
Depois disso, guerras foram fomentadas pelo morador da Casa Branca ou por ele incentivadas e patrocinadas no Oriente Médio, por exemplo.
Informações vazadas à imprensa dão conta de espionagem que os Estados Unidos têm feito no Brasil e noutros países latinos. E ler-se ainda a dúvida se nós somos amigos ou não deles.
E agora?
Culturalmente, o Brasil há muito foi invadido pelos gringos do Norte.
Ah, sim: a pior invasão que uma nação pode sofrer de outra é a cultural.
Nesse ponto, estamos fritos.

FOGO DO PARANÁ
No dia 6 de setembro de 1963, um incêndio de enormes proporções atingiu cidades do Paraná e praticamente as destruiu. Quinze dias depois, ainda não se sabia o número exato de mortos que ultrapassou a centena.
A tragédia fez o Brasil chorar, e no Exterior até o Papa Paulo VI, que acabara de ser eleito, fez a doação de Cr$ 3 milhões para amenizar o drama das vítimas sobreviventes.
A tragédia fez também o maranhense João do Vale compor uma música, Fogo do Paraná, para o rei do baião Luiz Gonzaga e ele próprio gravar, o que foi feito. Ouça abaixo, clicando: http://www.youtube.com/watch?v=TGwrS4yafYQ  
João do Vale nasceu no dia 11 de outubro de 1934.
Aliás, no próximo sábado 14, às 16 horas, o músico Sapiranga (a lado) se apresentará na esplanada do Memorial da América Latina, no bairro da Barra Funda, ao lado de Oswaldinho do Acordeon, Papete e Gereba. O espetáculo, em Homenagem a João do Vale, faz parte da programação da Feira Nacional do Cordel, que começará no dia 13, às 10 horas.
Vamos lá?

Nenhum comentário:

POSTAGENS MAIS VISTAS